Polí­tica

Foto: Kleiber Arantes Sentado ao centro Machado observa discurso de Lula Sentado ao centro Machado observa discurso de Lula

O presidente Luís Inácio Lula da Silva(PT) esteve no Tocantins nesta terça-feira, 21, para inaugurar um trecho de 256 km da Ferrovia Norte Sul, além das plataformas multimodais de Palmas, Porto Nacional e Guaraí/Tupirama.

Lula chegou às obras da plataforma de Porto à frente de uma locomotiva acompanhado do presidente do senado, José Sarney (PMDB), do vice-governador do Estado, Eduardo Machado (PDT) e da prefeita de Porto Nacional, Teresa Martins (PDT). Ao chegar ao local das inaugurações, o presidente foi recebido ao som das buzinas das outras locomotivas estacionadas na plataforma, além de gritos de “Lula, Lula”, vindos da multidão.

Na platéia, além de eleitores, estavam presentes, deputados da base governista, secretários de governo e cerca de 61 prefeitos do Tocantins, de acordo com informações de Sarney.

Compondo o palanque ao lado de Lula, além dos seus acompanhantes na chegada, estiveram o prefeito de Palmas, Raul Filho (PT), o prefeito de Colinas do Tocantins, José Santana Neto (PT), o governador de Goiás, Alcides Filho (PP) e os ministros das relações institucionais, Alexandre Padilha e Moura Barbosa, interino da pasta dos transportes. Na ocasião, ao ser chamado para compor o palanque, o prefeito de Palmas chegou a ser ovacionado pela platéia que a toda hora gritava seu nome, o de Lula e do governador e candidato à reeleição, Carlos Gaguim (PMDB).

A solenidade foi aberta com um vídeo institucional sobre a concepção e criação da Ferrovia Norte-Sul, idealizada no ano de 1987, pelo então presidente da república José Sarney. O vídeo destacava a importância socioeconômica da obra e seus impactos nas regiões por onde passam os trilhos, com ênfase para o desenvolvimento da região Centro-Norte do Brasil.

Os discursos

A primeira pessoa a fazer seu discurso nas inaugurações desta terça foi a prefeita de Porto Nacional, Teresa Martins. Em sua fala, a prefeita destacou a grandeza da construção da ferrovia que vai ligar o porto de Itaqui, em São Luis (MA) até o Porto de Santos, no Estado de São Paulo. “Estamos diante da maior obra de estrutura viária do nosso país”, completou.

Tereza ainda se lembrou do empenho de ex-governantes na implantação e construção da ferrovia, como “o nosso ex-governador Marcelo Miranda e o ex-prefeito de Porto Nacional, Paulo Mourão”.

Já Machado em sua fala se referiu a Gaguim como “o homem que trabalha ao lado de Lula para viabilizar o desenvolvimento do Estado”, disse.

Ministro Mauro Barbosa

O ministro interino dos transportes, Mauro Barbosa, lembrou, em seu discurso que sua família é natural do Tocantins. “Eu posso me chamar de filho da terra. Meus pais eram de Taguatinga”, disse.

O ministro destacou o incentivo que o governo Lula deu, desde 2003, no aprimoramento do setor de transportes do Brasil. De acordo com Barbosa, entre os anos de 1995 e 2002, seu ministério teve recursos que atingiam a marca de R$ 18 bilhões. Já entre os anos de 2003 e 2010, durante o mandato do presidente Lula, o Ministério dos Transportes adquiriu recursos que bateram na marca de R$ 54 bilhões. “Mais que três vezes à administrações anteriores”, completou.

Alcides Filho frisa ligação entre TO e GO

O governador do Estado de Goiás, Alcides Filho, usou de sua fala para frisar o momento de ligação definitiva que a Ferrovia Norte-Sul proporcionou entre o Tocantins e Goiás. Hoje pela manhã o presidente esteve na cidade de Talismã, na divisa com o Estado ao Sul, para inaugurar outro trecho da ferrovia, entre a cidade e Porangatú – GO. “Esta obra transformadora vai mudar a realidade do país”, completou.

José Sarney

Sarney, que, quando era presidente, foi quem tentou realizar a ferrovia Norte-Sul, afirmou não acreditava que um dia este “sonho seria realizado”. Sarney ainda destacou a importância que foi o governo Lula para o Brasil. O veterano da política destacou que está há mais de 60 anos na política. “Eu fui testemunha da História recente do Brasil. Eu vi muita coisa, mas nunca vi um presidente como Luis Inácio Lula da Silva”, completou.

O ex-presidente ainda ironizou as dificuldades que enfrentou para tornar a Ferrovia Norte-Sul realidade. De acordo com Sarney, ele só cometeu um erro ao criar a ferrovia, “que foi chamá-la de Norte-Sul. Se eu a tivesse chamado de Sul-Norte, não teria enfrentado tantas dificuldades”, informou, bem humorado.