Polí­tica

Foto: Divulgação

O candidato a vice-governador da coligação Tocantins Levado a Sério, João Oliveira (DEM), classificou de “oportuna” e “indispensável” a presença de força federal para atuar na segurança das eleições no Estado. “Eu já havia manifestado essa preocupação porque em cada município do Estado que a gente passa há dezenas de relatos de compra de votos, de gente que está recrutando pessoas para fazer boca-de-urna e muitas outras coisas ilegais em benefício da chapa governista. Com certeza, a força federal será importante para coibir abusos”, afirmou.

Oliveira elogiou a iniciativa do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que solicitou o envio de tropas federais para sete cidades tocantinenses. O pedido foi feito ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “Foi uma decisão oportuna e indispensável. Cabe a todos nós elogiar. Agora, cabe ao TSE decidir. Creio que a decisão será favorável”, disse. “Mesmo com a força federal a população deve estar atenta e denunciar crimes eleitorais”, completou.

Entre os motivos que levaram o TRE a fazer o pedido é a suspeição dos dois principais representantes da segurança pública no Estado, secretário estadual de Segurança Pública, Geraldo Donizete, e o comandante-geral da Polícia Militar, Benvindo Sousa Sobrinho. Eles são acusados pela coligação oposicionista de estarem envolvidos diretamente na campanha do candidato à reeleição, governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB).

Recentemente, Donizete teria sido flagrado tentando agredir um cidadão durante uma manifestação pró-Gaguim no centro da cidade. As imagens foram parar na internet. O secretário, entretanto, negou que tenha ocorrido agressão e afirmou que o que aconteceu foi uma brincadeira com amigo seu que passava no momento. Ele ainda lembrou em matéria veiculada pelo Portal CT nesta quinta-feira, 23, que estava fora do horário do seu expediente.

As tropas serão enviadas a sete municípios: Goiatins (por causa de aldeias indígenas) e os seis maiores colégios eleitorais, que são Palmas, Araguaína, Colinas do Tocantins, Gurupi, Porto Nacional e Paraíso do Tocantins.

Da redação com informações Assessoria de Imprensa TLS