Polí­tica

Foto: Divulgação

Em seus discursos no último comício da coligação Tocantins Levado a Sério na noite desta quinta-feira, 30, os candidatos ao senado Vicentinho Alves (PR) e João Ribeiro (PR) destacaram a importância da eleiçãor de Siqueira Campos (PSDB) ao governo e cobraram fiscalização no dia 3 de outubro.

Vicentinho critica governo

Em seu discurso, o deputado federal e candidato ao senado, destacou que esta foi “a campanha mais bonita em 20 anos de vida pública”.

Vicentinho fez um resgate histórico da trajetória política de Siqueira Campos, lembrando que o candidato tucano ao governo foi deputado federal por 5 mandatos e governador por outras três oportunidades. “Estou feliz pelo povo ainda ter Siqueira Campos como governador para todos nós”, completou.

Alves ainda não poupou o atual governo de críticas ao comparar Siqueira ao seu concorrente ao Palácio Araguaia, Carlos Gaguim (PMDB). “Siqueira é diferente deste governador ‘maluco’ que está aí no governo”, afirmou.

O ex-governador e atual candidato ao senado pela Força do Povo, Marcelo Miranda também foi alvo das críticas de Vicentinho. De acordo com o candidato, “nos últimos anos, o Tocantins tem frequentado mais as páginas policiais”, criticou.

Vicentinho ainda chamou os aliados do governador de quadrilha e afirmou que “quase todos já estão presos, só ele (Gaguim) está se esquivando”, acusou.

João Ribeiro

Em seu discurso, o senador e candidato à reeleição destacou que em nenhum momento de sua campanha se esqueceu de seu companheiro de majoritária, Vicentinho Alves. “Eu pedia voto para você todas as vezes que pedia para mim”, completou.

Ribeiro ainda destacou suas obras e recursos trazidos durante sua gestão como senador. Confirmando o lema de sua campanha, João Ribeiro destacou que trouxe recursos para a construção de 64 creches no Tocantins. “Eu trouxe recursos para a construção da ferrovia Norte-Sul e para a reforma da Belém-Brasília”, informou.

O senador ainda não desperdiçou seu tempo e aproveitou a oportunidade para pedir voto para a sua eleição no dia 3 de outubro.

João Ribeiro ainda reforçou o pedido para que sua militância fiscalize as movimentações no dia das eleições. Ribeiro se mostrou preocupado com possíveis irregularidades no dia 3. “Eu gostaria de pedir a vocês que vigiem a eleição e não deixem ninguém comprar votos”, completou.