Polí­tica

Foto: Divulgação

O presidente regional do PMDB, deputado federal Osvaldo Reis concedeu entrevista ao Conexão Tocantins na manhã desta quarta, 6, onde avaliou o processo das eleições deste ano.

“ Nós mesmos somos culpados pela derrota, os erros foram muito claros”, disse o presidente que defendeu que daqui para frente a legenda tenha um “diálogo democrático” com o novo governo. “Vamos reunir, discutir, temos uma figura central que é o (Moisés) Avelino e a partir daí vamos discutir como será nosso perfil daqui para frente”, frisou.

O peemedebista frisou que é necessário respeitar o processo democrático. “Ainda não era o momento do Gaguim”, disse.

Reis afirmou que o partido deveria abrir diálogo com o governador eleito, Siqueira Campos (PSDB) e ainda com a senadora Kátia Abreu (DEM). “O próprio governador me delegou para conversar com eles para uma composição, depois mudou de ideia. Numa composição tínhamos condições de eleger mais deputados”, frisou.

Sem reeleição

Reis não conseguiu ser reeleito e apontou como motivo o que chamou de “ofertas sedutoras de compra de voto”.

“Nos últimos dez dias tomaram muitos municípios, a região do Bico (do Papagaio) é muito pobre e as ofertas foram muito sedutoras”, frisou. O peemedebista disse ainda que sua campanha começou tarde. “Estava preparado para ser senador, minha campanha começou tarde, eu tive apenas alguns dias”, pontuou.

Reis disse que não está chateado pelo fato de não ter conseguido reeleição. “Sou o mais conhecido no Bico, tenho serviço prestado, tenho a consciência tranqüila pois não sou daqueles que negocio coisas”, afirmou agradecendo o apoio de todos os prefeitos e lideranças que o apoiaram.

O presidente afirmou ainda que agora vai se dedicar à empresa privada.