Polí­tica

Foto: Koró Rocha

Em entrevista concedida antes do início da sessão ordinária desta terça-feira, 19, na Assembleia Legislativa, o presidente da Casa, deputado Junior Coimbra (PMDB) destacou a necessidade de se aumentar o repasse orçamentário para os poderes Legislativo e Judiciário. Segundo o deputado, inclusive, os aumentos estavam previstos pela equipe do governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB).

De acordo com o presidente da AL, o aumento proposto para o orçamento da Casa, dos atuais R$ 93 milhões para os R$ 135 milhões no ano que vem como prevê a Lei de Diretrizes Orçamentárias ainda em tramitação na Casa é uma necessidade para a AL ter, segundo Coimbra, maiores condições de atuar no Estado. “A Assembleia Legislativa vai ter mais condição de desenvolver seu trabalho”, completou.

Conversa com a oposição

Sobre uma possível necessidade de conversa com a atual oposição ao governo, que no ano que vem passa a ser situação, o presidente da Casa de Leis rechaçou a aproximação com deputados siqueiristas. Segundo Coimbra, “Quem faz o orçamento neste ano, é quem está no governo este ano”. Coimbra ainda completou, destacando: “não vejo a necessidade de conversar com o próximo governo”.

Presidência da AL

Junior Coimbra afirmou que a base do governador Gaguim certamente irá participar do processo eleitoral para o presidente da Assembleia Legislativa. “Vamos trabalhar com toda dedicação para elegermos o presidente da AL da base aliado do governador Gaguim”, disse.

O presidente da AL não adiantou os nomes dos deputados que serão candidatos à cadeira maior da Casa de Leis. Coimbra informou, entretanto, que, os possíveis candidatos serão definidos a partir de reuniões com o governador. “Por enquanto, ainda sem nomes”, completou.

Crise no PMDB

Coimbra mostrou desconhecimento com relação à uma suposta crise dentro de seu partido. Especulações recentes na imprensa deram conta de uma movimentação para a saída do ex-governador Moisés Avelino dos quadros peemedebistas. Noutro fronte, outra vertente do partido tem relatado uma insatisfação e o pedido de substituição do atual presidente do partido, deputado federal Osvaldo Reis, segundo informou uma fonte peemedebista ao Conexão Tocantins.

O presidente da Casa, no entanto, destacou que ainda não foi procurado por nenhum membro do partido para tratar do assunto. “Eu não fui procurado por ninguém neste sentido”, completou.

Coimbra ressaltou ainda a necessidade de unidade dentro do PMDB para a eleição presidencial que está no segundo turno e assegurou a presidência de Reis até outubro de 2011, final de seu mandato. “Acho prematuro falar deste assunto até a eleição, até porque o presidente Osvaldo tem mandato até outubro do ano que vem”, concluiu.