Polí­tica

Foto: Montagem

Passado um mês da eleição que definiu o novo governador do Tocantins, os candidatos já apresentaram suas contas ao Tribunal Superior Eleitoral, dentro da data-limite, que era dia 3 de novembro.

De acordo com os dados do TSE, disponíveis no site da instituição (www.tse.jus.br) , o candidato ao governo que mais arrecadou fundos foi o atual governador, Carlos Henrique Gaguim (PMDB), que tentou a reeleição em 2010. Segundo o TSE, o candidato do PMDB conseguiu arrecadar R$ 6.874.148,78, sendo que a maior parte do dinheiro segundo declaração do candidato, partiu de seu Comitê Financeiro Único, com valores que variam entre R$ 4 mil e R$ 1,08 milhões.

Coincidentemente, as despesas de campanha do governador, candidato à reeleição, foram exatamente equivalentes às arrecadações. De acordo com os dados do TSE, a despesa de Gaguim foi de R$ 6.874.148,78. Os gastos de campanha do governador também não foram bem discriminados, constando apenas como Baixa de Recursos Estimados em Dinheiro para todos os valores empenhados no processo eleitoral.

Siqueira Campos

Já o ex-governador Siqueira Campos (PSDB) teve arrecadação pouco menor que a de seu concorrente ao Araguaia. Segundo o TSE, o tucano arrecadou R$ 6.237.148,28. Assim como Carlos Gaguim, a maior parte da arrecadação de Siqueira partiu de seu Comitê Financeiro, com valores que variaram de R$ 30,00 até R$ 500 mil.

Durante a arrecadação, o governador eleito pelo PSDB também contou com o auxílio financeiro de seus aliados nas proporcionais. Foi o caso, por exemplo, dos deputados federais eleitos, Eduardo Gomes (PSDB) e Dorinha Seabra (DEM), além do candidato à Assembleia Legislativa, Junior Luiz (PTN).

Diferente da tabela de gastos eleitorais de Gaguim, a equipe de Siqueira discriminou detalhadamente as despesas de campanha do veterano. Na tabela do TSE constam desde despesas com pessoal, até as tais Baixas de Recurso Estimados em Dinheiro. Todas as despesas da campanha tucana foram identificadas por nome e documento de quem recebeu determinado valor.

Com pessoal, segundo o TSE, por exemplo, Siqueira teve gastos que variaram de R$ 150 até R$ 10 mil; com transporte os valores variaram entre R$ 10 e R$ 800; com carros de som, foram gastos de R$ 1,5 mil a R$ 40 mil. Outros valores foram descritos na tabela de despesas da campanha siqueirista, como telefone, locação de veículos, produção de programas de rádio e TV, publicidade impressa.

No total, a equipe de campanha de Siqueira Campos gastou R$ 6.310.919,28, ou seja, R$ 73.835 a mais do que as arrecadações. De acordo com a legislação eleitoral, "evetuais débitos de campanha não quitados até a data da apresentação e prestação de contas, poderão ser assumidos pelo partido político, por decisão de seu órgão nacional de direão partidária".