Polí­tica

Foto: Divulgação

O vereador Fernando Rezende (DEM) usou a tribuna na sessão desta quarta-feira, 10, para tecer criticas à atual situação do Hospital Geral de Palmas (HGP). O parlamentar informou que recebeu ofício do secretário de estadual de saúde, Francisco Melquíades Neto, informando que as recentes denúncias do vereador na Câmara Municipal não eram verdadeiras, que não faltam materiais básicos para atendimento dos pacientes e que o serviço de limpeza do hospital, feito por empresa terceirizada, estava sendo realizado e os pagamentos estão em dia.

Rezende disse que entrou em contato com o proprietário da empresa terceirizada que confirmou o atraso do pagamento e a falta de produtos. “Não tenho intimidade com o dono da empresa. O empresário me confessou que não recebe há mais de quatro meses e a situação está cada vez mais critica. Está faltando pão e leite para os pacientes”, disse o parlamentar municipal.

Rezende disse, também, que enviou as denúncias aos órgãos responsáveis para apuração (Ministério Público Estadual e Federal, Tribunal de Contas do Estado e da União) e obteve resposta de todos, informando que estão abertos os inquéritos investigativos para apurar o caso. “Esse caos na saúde do Tocantins só comprova a incompetência do atual governador de 22 votos, Carlos Gaguim. Corre o comentário que a presidente eleita Dilma Rousseff irá dar um cargo em seu governo para Gaguim. Eu lamento essa possibilidade. Como gestor privado ele até pode ser competente, mas como gestor público é irresponsável, e a prova está ai para todos ver”, disse Rezende.

Segundo o vereador suas denuncias foram confirmadas por reportagem veiculada pela TV Anhanguera na terça-feira, 9. “Ontem, através de reportagem na televisão, ficou claro que funcionários não estão recebendo e que faltam vários utensílios básicos. Hora tem agulha, hora não tem. Hora tem esparadrapo, hora não tem. Existem casos de pacientes que estão há dezoito dias esperando para uma cirurgia simples de ortopedia. Falta material de higiene. É um absurdo. Acredito que a atual situação é resultado de incompetência e mediocridade do atual secretário”, concluiu Fernando Rezende.

Fonte: Assessoria de Imprensa Fernando Rezende