Polí­tica

Foto: Divulgação

Reunidos na noite desta quarta-feira, 17, na casa do candidato a deputado estadual eleito, José Augusto Pugliese (PMDB), parlamentares da base do governo Carlos Gaguim (PMDB), presente ao encontro, juntamente com os demais eleitos no último 3 de outubro decidiram que a nova mesa diretora da Assembleia Legislativa, a ser definida no dia 1º de fevereiro de 2011, será eleita pelos 15 deputados da oposição.

Os nomes, inclusive o do candidato a presidente da Casa, só serão definidos no final de janeiro do próximo ano. Por motivo de viagem, só não participaram o deputado Júnior Coimbra (PMDB) e a deputada Solange Duailibe (PT).

“Hoje ficou muito claro que vamos respeitar o resultado das urnas”, disse Pugliese. “O governador eleito vai comandar o Executivo, e a nossa base, os 15 deputados estaduais, vai eleger a mesa diretora da Assembleia”, completou. “Confio no trabalho deles”, disse o governador Carlos Gaguim, que saiu da reunião confiante com a decisão tomada pelos parlamentares, inclusive pelo reconhecimento da sua liderança em relação ao grupo.

Para a líder do governo, deputada Josi Nunes (PMDB), a reunião trouxe um significado importante, e agora é o momento de dar publicidade ao fato “da nossa união, da nossa coesão”. Segundo ela, todos estão juntos hoje, estarão juntos amanhã. O objetivo é defender o Estado. Ela garante que não há nenhuma possibilidade de algum membro do grupo sair para aderir ao novo governo. “Nós fomos eleitos num conjunto, vamos permanecer nele, defendendo o povo do Tocantins. Vamos manter essa unidade”, afirmou.

“Nosso líder continua sendo o Gaguim”, disse Iderval Silva (PMDB), para quem os deputados “vão se manter onde foram eleitos, para dar satisfação ao povo porque foram eleitos. A união é a garantia que nós temos”. Segundo ele, o objetivo é manter a independência da Assembleia.

Para Amália Santana, candidata eleita pelo PT, foi uma reunião de compromisso e que serviu para reafirmar a intenção de unidade. O outro candidato eleito do PT, José Roberto, disse que a decisão significa tomar o caminho certo. “Entendo que o governador vai exercer o papel dele com governo e, nós, vamos exercer o nosso papel como deputados É importante a união. Na opinião do Sargento Aragão (PPS), que retorna à Casa no dia 1º de fevereiro, o importante é que o grupo é maduro e está coeso. “Unidade é mostrar a cara e dizer que esse grupo está unido na mesma base que o elegeu, que é o governador Gaguim”, definiu.

Para o presidente da Câmara Municipal de Palmas, vereador Wanderley Barbosa (PSB), também eleito deputado estadual nas últimas eleições, o importante é o consenso entre todos os membros do grupo de seguirem juntos. Ele considera importante que o presidente da Assembleia saia desse grupo. “Fomos eleitos a favor do Tocantins”, diz.

Vilmar do Detran (PMDB), também um dos novos, garantiu que vai seguir a orientação do seu partido. “Vou acompanhar o grupo da base do governador Gaguim, porque acredito que seja o melhor para todos. É com esse pensamento que eu vou estar a partir de fevereiro lá na Assembleia”. Para Manoel Queiroz (PPS), reeleito, todos os companheiros são competentes. “Nunca vamos abrir mão da nossa posição, da nossa postura”, garantiu. Segundo ele, o Tocantins nunca teve um momento tão feliz "como o que estamos tendo agora”, disse.

Para Eduardo do Dertins (PPS), reeleito, o povo do Tocantins decidiu que a maioria da Assembleia fosse composta pelo time que brigou, trabalhou e lutou pela campanha do governador Gaguim. “Essa unidade é extremamente importante para que nós possamos fazer da Assembleia o eco da sociedade. Para o deputado Raimundo Palito (PP), foi exatamente essa decisão que foi extraída da reunião. Participaram tembém da reunião os candidatos a deputado federal eleitos, Cesar Halum (PPS) e Angelo Agnolin (PDT).

Fonte: Dicom/AL