Polí­tica

Os partidos aliados do PT, da base da presidente eleita Dilma Rousseff no Tocantins devem discutir apenas a partir do próximo ano as indicações dos cargos federais, conforme informou o presidente do PT, Donizeti Nogueira ao Conexão Tocantins.

Donizeti está em Brasília onde participou da reunião da executiva nacional com participação de Dilma. “Essa questão de ocupação de espaços no governo é um processo que vai acontecer ano que vem, a discussão agora foi sobre os ministérios e presidências de estatais”, frisou.

O petista salientou que até dezembro a equipe de primeiro escalão estará definida mas sem previsão de indicação de um tocantinense para os ministérios. “Trabalhamos para isso mas não temos sinalização de que alguém do Estado ocupe um ministério”, frisou.

Donizeti ainda falou das expectativas para ocupar outros espaços “compreendemos o processo e nossa importância e sabemos que há outros espaços importantes a serem discutidos”, disse.

Além das indicações a reunião do PT discutiu o papel do partido na condução das relações partidárias para o próximo governo.

Dois grupos

A indicação de cargos do terceiro e quarto escalão será discutido com todos os partidos que trabalharam para a eleição de Dilma o que causa uma divisão em dois grupos.

De um lado, o grupo do governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB) e do PT e do outro o senador João Ribeiro (PR) que ganhou o reforço do deputado Vicentinho Alves (PR) que conseguiu uma vaga no Senado com a cassação de Marcelo Miranda (PMDB).

Os cargos deverão ser divididos entre os aliados de dois grupos.

Gaguim em evidência

Alguns aliados do governador Gaguim pretendem fazer um ofício à presidente eleita solicitando que o peemedebista ocupe algum cargo no primeiro ou segundo escalão.