Polí­tica

Foto: Divulgação

O senador Leomar Quintanilha (PMDB-TO) saudou nesta sexta-feira, dia 26, a assinatura de protocolo de intenções, no primeiro semestre deste ano, entre o governo do Tocantins, a prefeitura municipal de Praia Norte e a empresa Autologística Eurolatina, para a construção do Porto Fluvial de Praia Norte. “Esse porto contribuirá para integrar modais de transporte visando a redução de custos e ao aumento da competitividade dos produtos da Zona Franca de Manaus”, considerou.

Assim que forem concluídas as eclusas do Rio Tucuruí, que vão permitir a navegação pelo Rio Tocantins até Praia Norte, será possível iniciar a execução da obra de construção do porto. A obra vem ao encontro dos esforços do governo federal para melhorar e ampliar a infra-estrutura portuária do País. Quintanilha disse ver como imprescindível o apoio da União para tirar o projeto do papel.

Segundo Quintanilha, a segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2) prevê investimentos em infra-esturura portuária que alcançam R$ 5,1 bilhões para o período 2011-2014, abrangendo 48 empreendimentos em 21 portos brasileiros. “Diante de expectativas de crescimento econômico para o próximo ano, na faixa de 7%, o País necessita de investimentos em infra-estrutura para superar a situação precária do setor, sob risco de comprometer a continuidade desse processo”, afirmou o senador.

No caso dos portos, Quintanilha observou que o aumento significativo das exportações brasileiras e, principalmente, das importações, vem causando sérias dificuldades operacionais em razão da limitada capacidade física instalada.

Quintanilha destacou ainda os esforços do governo de seu Estado para tornar realidade esse projeto, ao buscar parcerias junto à iniciativa privada e ao conceder incentivos para atração de investimentos. Ele cumprimentou a prefeitura de Praia Norte por entender a importância do porto para a cidade e o Estado.

Quintanilha também parabenizou os executivos da Eurolatina pela autoria do projeto e disse reconhecer a enorme contribuição que a iniciativa privada pode dar “para o desenvolvimento de uma região pobre, mas de grande potencial econômico", disse.

Fonte: Assessoria de Imprensa Leomar Quintanilha