Economia

Foto: Divulgação

Teve início na manhã desta quarta-feira, 1º de dezembro, em São Paulo, o 5º Encontro Nacional da Indústria, promovido pela Confederação Nacional da Indústria – CNI. O evento reúne este ano as principais lideranças empresariais, sindicais e associativas ligadas à indústria, para discutir a melhoria das condições de competitividade da economia brasileira e divulgar a campanha “Competitividade Brasil”. O encontro deverá ser um movimento da indústria em direção à sociedade brasileira para construir, com o novo governo, uma aliança pela competitividade da indústria e do Brasil na economia globalizada.

Ao fazer a abertura do evento, o presidente da CNI, Robson Andrade, destacou que o Brasil precisa fazer da competitividade a grande estratégia nacional. “O encontro visa mapear os obstáculos ao desenvolvimento do País e propor soluções para superá-las, pois a competitividade é o caminho do Brasil, e é por ele que queremos avançar”, afirmou Andrade. Segundo ele, o grande desafio para garantir a competitividade é, primeiro, vontade política. Segundo, a união do empresariado e a sociedade que, e mãos dadas com o governo, implementar uma série de medidas que o Brasil tem necessidade como, por exemplo, a reforma tributária, desoneração das exportações e dos investimentos e uma melhor relação entre o capital e o trabalho.

São ações que o Brasil, conforme relatou o presidente da CNI, precisa desenvolver, “e os empresários têm também uma contribuição muito grande a dar, principalmente no que se refere à inovação tecnológica, às questões da burocracia, ou seja, pontos que o empresariado pode trabalhar e ser parceiro do governo nessas mudanças”.

O 5º Encontro Nacional da Indústria prossegue até amanhã, quinta-feira, 2, com talk show, palestras e debates sobre os desafios da empresa brasileira na competição global, empreendedorismo, fortalecimento das pequenas empresas, educação profissional, competitividade industrial, macroeconomia do crescimento, gastos públicos, tributação, financiamento, câmbio, inovação, meio ambiente, competitividade do Brasil na economia global, relações do trabalho no Brasil, agenda de comércio exterior e de investimentos e investimentos em infraestrutura.

Uma comitiva do Tocantins, composta pelos presidentes dos sindicatos patronais de indústria, pelo diretor do departamento regional do Senai, Marcus Fonseca, pela superintendente do Instituto Euvaldo Lodi, Raimunda Pereira e pelo chefe de gabinete da presidência da Fieto, Jairo Mariano, participa do encontro. O empresário Carlos Suzana, presidente do Sindicato das Indústrias Beneficiadoras de Arroz, está representando o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins, Roberto Pires, que por motivo de doença não pode comparecer ao evento.

Fonte: Assessoria de Imprensa Fieto