Estado

Em entrevista ao Conexão Tocantins na tarde desta terça-feira, 7, o prefeito de Miracema do Tocantins, Júnior Evangelista (PSDB) afirmou que o súbito “esquecimento” do governo em transferir provisoriamente a capital do Estado para o município do interior do Estado, traz prejuízos para a auto-estima da população.

De acordo com o prefeito, este é um dia histórico para a cidade que sediou a primeira capital do Tocantins, logo na criação do Estado. “E o governo e a Assembleia Legislativa não cumpriram”, completou.

Júnior Evangelista afirmou que chegou a procurar o Palácio Araguaia para confirmar se a data festiva seria comemorada na cidade. No entanto, o prefeito não obteve uma resposta do governo do Estado. “Nós não fomos procurados. Eu liguei para o Palácio e lá me disseram que nada tinha sido definido”, informou.

Ressentimento na população

O prefeito de Miracema ainda destacou que este é um dia para se lembrar do momento em que a cidade sediou a capital do Tocantins, enquanto Palmas ainda era planejada e construída. Segundo o Evangelista, “Fica um ressentimento. A população vai cobrar”, informou.

Em uma tentativa frustrada de conter o erro, o governo do Estado, através do Departamento de Estradas e Rodagens do Tocantins(Dertins) procurou o prefeito para oferecer serviços de infra-estrutura, segundo informou o próprio prefeito. No entanto, Júnior Evangelista afirmou que não era somente isso o que ele esperava do Executivo estadual. “Recebemos ligações do pessoal do Dertins oferecendo serviços, mas não é só isso. A questão é de lembrança”, lamentou.

No entanto, o prefeito não afirmou se pretende entrar com algum tipo de ação contra o governo do Estado pelo não cumprimento de um artigo constitucional. Quando questionado, Júnior Evangelista afirmou somente que pretende aguardar um posicionamento do Araguaia. “Vamos aguardar. O deputado Stálin (Bucar, do PR) já fez um pronunciamento hoje de manhã”, destacou.

Sessão interrompida

A sessão ordinária da Assembleia Legislativa da manhã desta terça-feira chegou a ser aberta e os trabalhos iniciados. No entanto, pelo fato de a Constituição Estadual prever que a capital do Estado, no dia 7 de dezembro, passa provisoriamente para Miracema do Tocantins, a sessão foi cancelada e todas as votações foram transferidas para a sessão de amanhã, quarta-feira.