Polí­tica

O procurador chefe do Estado, Bruno Nolasco explicou em entrevista coletiva no fim da tarde desta segunda-feira, 03, a suspensão de alguns pagamentos a fornecedores feitos pelo ex-governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB).

O pagamento foi feito no dia 30 de dezembro num valor estimado de R$ 100 milhões de reais. O procurador afirmou que o intuito do pedido do cancelamento é apenas para averiguar. "Não estamos aqui acusando ninguém", completou.

“Tivemos que defender o dinheiro público não por ser ilegal mas por que temos que checar”, salientou, esclarecendo que a procuradoria não está alegando irregularidade no pagamento mas sim pedindo apenas a averiguação.

A PGE entrou com o pedido de cancelamento dos pagamentos no dia 1º de janeiro e teve a liminar concedida pelo desembargador José de Moura Filho. “Só queremos nos certificar se aquilo está correto ou não”, salientou o procurador.

O que estranha, segundo o procurador, é o fato do pagamento ter sido efetivado nos últimos dias de governo sendo que o Estado não tinha dinheiro nem mesmo para pagar a folha de pagamento nesta data.

A partir de agora a secretaria da Fazenda está checando a origem do dinheiro e pode ser que todos os pagamentos estejam regulares.

A Secretaria da Fazenda deve divulgar depois o nome dos fornecedores, caso algum pagamento seja efetivamente cancelado. Não há ainda um prazo para o resultado da análise do pagamento.