Polí­tica

Foto: Luciano Ribeiro Olímpio ressaltou que o valor não veio vinculado para outras áreas da administração Olímpio ressaltou que o valor não veio vinculado para outras áreas da administração

O ex-secretario da Fazenda do Estado do Tocantins, Marcelo Olímpio, afirmou ao Conexão Tocantins na manhã desta terça-feira, 4, que os R$ 100 milhões que seriam pagos aos fornecedores do Estado e que estão bloqueados a pedido do governador Siqueira Campos (PSDB) são recursos do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES.

Olímpio salientou que o valor veio direcionado para o pagamento dos fornecedores. “Saiu esse recurso do BNDES, esse dinheiro veio vinculado e direcionado para o pagamento das contas”, salientou.

Sobre o fato do valor ter sido pago apenas no penúltimo dia do governo, o secretário afirmou que isso não é ilegal nem irregular. “Deixa eles procurarem que vão achar”, salientou.

Olímpio ressaltou que o valor não veio nem da Educação nem da Saúde, caso no qual sua utilização seria irregular.

O atual secretário da Fazenda, Sandro Rogério Ferreira, está analisando os contratos referentes à esse pagamento para descobrir de onde veio a verba, segundo explicou o procurador geral do o Estado, Bruno Nolasco que entrou com o mandado de segurança que pedindo a suspensão do pagamento.

Não há prazo para a averigação dos valores que está à cargo da Secretaria da Fazenda. O intuito do bloqueio, segundo a procuradoria, é apenas verificar de onde veio a verba já que o Estado estava sem dinheiro nos últimos dias de governo.

Se os pagamentos forem regulares serão desbloqueados, segundo a Procuradoria Geral do Estado (PGE). Os pagamentos foram efetuados pelo ex-governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB).