Polí­tica

Durante as discussões no plenarinho da Assembleia Legislativa na tarde desta terça-feira, 11, os deputados do PMDB, oposição do governo Siqueira Campos (PSDB), levantaram questionamentos sobre as mudanças na estrutura administrativa do governo. As mudanças foram encaminhadas através de Medida Provisória para a AL.

O primeiro a levantar um questionamento foi o deputado Iderval Silva (PMDB) que perguntou sobre a diferença entre os cargos de secretário de Estado e secretário-chefe. “ Eu preferi esperar as comunicações para não precisar entrar com emenda pedindo explicação”, completou.

O deputado Raimundo Moreira (PSDB) afirmou que o cargo de secretário-chefe é um cargo um pouco menor do que o secretário de Estado. “As atribuições de um secretário-chefe são um pouco menores que a de um secretário de Estado comum”, completou.

Já o deputado Marcelo Lelis (PV), ao ler as atribuições de um secretário-chefe, frisou que os ocupantes deste cargos tem prerrogativas equivalentes aos de secretário de Estado. “É o caso do secretário-chefe da casa Civil, secretário-chefe da Casa Militar”, informou.

Outro peemedebista a levantar questionamento sobre a nova estrutura proposta pelo governador, foi Eli Borges que perguntou sobre as secretarias extraordinárias. “Por que criou 6 secretarias extraordinárias e nenhuma secretaria?” questionou.

Moreira também respondeu ao questionamento e explicou que secretarias extraordinárias prestarão o serviço necessário ao Estado, sem precisar de uma pasta e estrutura física, gerando o que o deputado chamou de “cabides de emprego”. “A secretaria do governo era a que fazia este papel”, criticou.

Depois das dúvidas sanadas, o relatório do deputado Raimundo Moreira foi aprovado na íntegra pelos membros das comissões e Medida Provisória do governo do Estado segue a Plenário para votação e aprovação.

Após votação unânime, a Medida Provisória do governo do Estado foi aprovada pelos deputados em turno único. Com a aprovação, se tornam válidas as alterações propostas pelo governador Siqueira Campos (PSDB) na estrutura das secretarias e autarquias estaduais.

No ato da aprovação da votação, o presidente da Casa, deputado Junior Coimbra (PMDB) ainda afirmou que esta foi a primeira MP aprovada em sua gestão à frente da Assembleia Legislativa.

Atualizado às 19:14