Estado

Foto: Marcio Vieira

Em sua primeira visita ao Tocantins, o Embaixador Qiu Xiauqi, da República Popular da China, foi recebido pelo governador Siqueira Campos (PSDB) no Palácio Araguaia na tarde deste domingo, 23. A Embaixatriz Liu Min, recebida pela primeira-dama Marilúcia Siqueira Campos, o Ministro Conselheiro Wang Qingyuan, do Comércio da China e sua mulher Qong Qiuhua e a Adida Civil Yang Lin, da Embaixada acompanham o Embaixador na visita oficial que termina nesta segunda-feira, 24.

O governador fez a apresentação dos secretários de Estado, em reunião no gabinete, houve uma apresentação, em vídeo, do perfil sócio-econômico do Estado do Tocantins. O vice-governador João Oliveira (DEM), o desembargador Antônio Félix, presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins, e os secretários participaram da reunião que durou cerca de três horas.

Siqueira Campos disse que há uma grande possibilidade de parceria entre o Estado e a República Popular da China. “Podemos trabalhar juntos em vários setores como transportes, geração de energia, indústria e até mesmo na área da educação com projetos que devem ser retomados. A China é um parceiro confiável e com a rica experiência de desenvolvimento que tem podemos criar projetos que façam esta região crescer”, disse o governador.

O Embaixador falou da sua expectativa com o Tocantins. “Este é um Estado muito dinâmico, com potencialidades incríveis e de um povo acolhedor e trabalhador. Existe uma grande possibilidade de firmarmos uma parceria, seja no campo econômico quanto na cultura e na educação. Sinto-me honrado em conhecer o governador Siqueira Campos pessoalmente e estou muito impressionado com os seus projetos”, afirmou o embaixador Qiu Xiauqi. Ele falou sobre os investimentos da China no Brasil e a relação comercial entre os dois países, que, segundo ele, deve beneficiar o Tocantins.

Qiu Xiauqi explicou que seu País se tornou o primeiro investidor no Brasil desde o ano passado e é também o primeiro no mundo em exportação. O Embaixador destacou a qualidade das terras produtivas no Tocantins e afirmou que há a possibilidade de explorar as potencialidades do Estado, ressaltando também que a China é uma economia de mercado.

Fonte: Secom