Polí­tica

Foto: Divulgação Gustavo Arruda foi assassinato brutalmente Gustavo Arruda foi assassinato brutalmente

O delegado Luciano Barbosa Sousa Cruz informou ao Conexão Tocantins na manhã desta terça-feira, 25, que há suspeitas que outra pessoa tenha participado do crime do estudante Gustavo Arruda Ferreira, filho do ex-presidente da Federação das Associações Comerciais e Industriais do Tocantins (Faciet), Pedro José Ferreira.

Talita Bonfanti Ravali, 22, e Millena Coelho Feitosa,23, que confessaram o crime continuam presas e não há previsão de novo depoimento por parte das acusadas para hoje. As duas, segundo delegado, mudaram a versão do crime. “Mudaram muitas coisas mas não podemos revelar ainda”, salientou.

Nesta terça, policiais civis e militares estão fazendo busca nas proximidades de onde foi encontrado o corpo do estudante no porta-malas do carro. “Estamos buscando o resto dos objetos que foram usados”, salientou.

Está agendado ainda para hoje o depoimento de pessoas próximas ás acusadas, conforme afirmou o delegado.

Luciano Barbosa salientou ainda que vai precisar usar todo o prazo de dez dias para a conclusão do inquérito de investigação do caso.

O crime

A hipótese é que o estudante estava interessado em uma das garotas que tinham um envolvimento conjugal, segundo afirmaram à polícia.

O corpo de Gustavo foi encontrado pela família na madrugada de sábado às 6h15 min no Km 484 da BR 153 no porta malas de um Pegeout com as mãos e pés amarrados e cinco perfurações com arma branca no pescoço e na cabeça.