Polí­tica

Foto: Dicom/AL

O candidato à presidência da Assembleia Legislativa, Sandoval Cardoso (PMDB) afirmou ao Conexão Tocantins que trabalha para ter o consenso na eleição da mesa diretora da Casa.

O peemedebista comentou ainda a afirmação do secretário de Planejamento e Modernização Pública, Eduardo Siqueira Campos de que está conversando com dois parlamentares da oposição. “Se ele está conversando com dois, eu estou conversando com muito mais em busca do consenso”, salientou.

Para o deputado, a articulação tem que ser feita entre os 24 deputados. “Estamos discutindo um parlamento e não o governo”, alfinetou.

Sandoval disse que trabalha para que a Casa de Leis seja um poder independente, autônomo e mantenha o equilíbio com relação ao governo. “Tenho certeza que vamos ganhar, se não for com todos juntos num consenso será com a maioria”, salientou.

Relação com Amália

Questionado sobre sua divergência com a deputada do PT, Amália Santana no município de Colinas do Tocantins, o parlamentar garantiu que não tem nenhum tipo de rejeição à petista.

“Na minha visão isso não influencia de forma alguma. Não tenho nada contra a deputada, a divergência foi nas eleições de Colinas mas isso já passou. Ano passado na eleição pedimos voto para o mesmo governador”, pontuou.

O deputado afirmou ainda que para Colinas é importante ter dois deputados eleitos, nesse sentido, disse que seria interessante que Amália fosse vice. “Se eu e Amália estivéssemos na mesa diretora fortaleceria ainda mais o município”, disse.

Sandoval ponderou portanto que a decisão é exclusiva do partido sobre o nome que deve compor a mesa.