Saúde

A fim de envolver a comunidade, a Secretaria da Saúde de Palmas (Semus) inicia mutirão de combate a dengue e ao calazar no setor Taquari a partir desta quarta-feira, 02 de janeiro, a partir das 08 horas. Um comissão fará a seleção de dez moradores do setor para serem homenageados como cidadãos vigilantes na luta contra a dengue.

Força-tarefa

Os Agentes de controle de endemias, com a ajuda de agentes comunitários de saúde, vistoriarão os 3.305 imóveis do setor em busca de criadouros dos mosquitos transmissores da dengue e do calazar. Uma equipe de roçagem e agentes de limpeza da Secretaria de Meio Ambiente e Serviços Públicos (SEMASP) estarão colaborando com a limpeza de áreas públicas.

O mutirão também receberá reforço de guardas metropolitanos, policiais militares e voluntários da associação de moradores do setor que darão suporte às equipes durante as vistorias. Além de um fiscal de obras e postura e um fiscal da Vigilância Sanitária (Visa), que dará orientações aos proprietários de imóveis em condições insalubres.

“Além da destruição de criadouros, nossas equipes também farão coleta de amostras de larvas encontradas para análise” - explica José Luiz Peres, supervisor de endemias da Região Sul. Durante o mutirão, sacos plásticos e materiais educativos serão distribuídos a comunidade.

Cidadão Vigilante

A fim de reconhecer o esforço dos moradores que se mantêm vigilantes no combate a dengue, uma comissão julgadora estará no setor, durante todo o mutirão, para selecionar os imóveis para que seus proprietários recebam o título de “Cidadão Vigilante”. “É uma homenagem simbólica que busca reconhecer o trabalho de tantos palmenses que nos ajudam nessa batalha contra o mosquito da dengue” - assinala Samuel Bonilha, secretário da Saúde.

Critérios para homenagem

“Não apresentar qualquer tipo de depósito de água sem tampa, matéria orgânica em decomposição a céu aberto e calhas com água acumulada são alguns dos critérios que a comissão julgadora utilizará na eleição dos imóveis que dão exemplo de prevenção” - explica Cláudio Gilberto Garcia, diretor de Vigilância em Saúde.

Fonte: Assessoria de Imprensa