Polí­tica

A repercussão sobre um possível aumento na tarifa do transporte coletivo municipal foi o ponto alto da sessão ordinária na Câmara de Palmas desta manhã, 9. Uma reunião do conselho municipal ocorrida ontem discutiu o aumento da tarifa que passaria a custar R$ 2,42. Hoje a tarifa é calculada com base nos custos variáveis e fixos divididos pela quantidade de usuários. O vereadorAurismar Cavalcante (PP) apresentou entre seus requerimentos, um projeto de lei que trata sobre parceria entre poder executivo e universidades para um estudo real da tarifa.

“Volto a defender a idéia de haja uma contraposição da tarifa, através de uma segunda planilha, feita por especialistas. A comissão fica debatendo a planilha enviada pela empresa de ônibus e na verdade não há o que discutir. O sistema é falho. Não podemos acreditar no que a empresa está dizendo. Nós devemos buscar tarifas justas e com transparência no cálculo apresentado”.

Questionando pelo situacionista, vereador José do Lago Folha Filho (PTN), Cavalcante disse que suposições não devem ser aceitas: “os achismos estão fora de moda e eu não entendo porque o nobre par elegido pelo povo, tem essa resistência em buscar os custos reais”.

Outros requerimentos apresentados foram o excesso de peso para crianças (fiscalização do peso da mochila nas escolas), taxa de estacionamento (Projeto de lei para o pagamento fracionado do estacionamento do Shopping Capim Dourado), recapeamento das vias públicas e informações a cerca do pronto atendimento da região Sul. Além de sinalização próxima as faculdades. “Peço em medida de urgência também um semáforo em frente às faculdades porque é um perigo a movimentação de estudantes e o fluxo de ônibus”, afirma Cavalcante.

Fonte: Assessoria de imprensa Aurismar Cavalcanti

Por: Redação

Tags: Aurismar Cavalcante, Câmara de Palmas