Campo

Foto: Divulgação

Reforçar as parcerias para desenvolver pesquisas voltadas ao setor produtivo do Estado. Esse foi o tema de encontro entre o reitor da Unitins – Fundação Universidade do Tocantins, Joaber Divino Macedo, pró-reitor de Pesquisa, Joseano Carvalho Dourado, pesquisadores da instituição, secretários de Estado e presidente de autarquia, realizada na tarde da sexta-feira, 11, no Centro Agrotecnológico de Palmas.

Para o reitor, as pesquisas realizadas pela Unitins são um referencial de transferência de tecnologia que precisam ser fomentadas para que tenham resultados práticos e tragam retorno tanto para a universidade quanto para o setor produtivo do Tocantins. “É preciso difundir esses conhecimentos, tornando-os úteis para a sociedade tocantinense”, reforçou o reitor. Ele destacou, ainda, que as parcerias, principalmente com outras esferas do poder público, são fundamentais para que os resultados das pesquisas tenham aplicações práticas.

Presente no encontro, o secretário da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, Jaime Café, destacou a importância de buscar parcerias de reforço às pesquisas já existentes e implantação de projetos tecnológicos para o desenvolvimento da produção agropecuária tocantinense. “Necessitamos investir e ampliar as pesquisas na agricultura e pecuária. E o Tocantins tem muito potencial para esta área cientifica”, animou-se.

Já o secretário das Oportunidades, Omar Henneman, disse que as pesquisas realizadas pela Unitins podem influenciar na sociedade. “O centro de pesquisa é um local onde são realizadas excelentes pesquisas para o desenvolvimento no campo, além de proporcionar oportunidades de emprego e renda no agronegócio”, acredita.

O presidente do Ruraltins, Olímpio Mascarenhas, também se empolgou com as pesquisas em desenvolvimento pela Unitins e as possibilidades de ampliação. Como gestor do órgão de extensão rural do Estado, ele acredita que os resultados dos trabalhos em desenvolvimento podem influenciar diretamente as atividades de pequenos produtores do Estado.

O pró-reitor de pesquisa informou que, atualmente, o Centro desenvolve várias pesquisas tecnológicas nas áreas animal e vegetal. Dentre elas estão, pesquisas de catalogação de plantas nativas do cerrado, viveiros de mudas de cana e abacaxi, variedades de mandioca, arroz, milho e feijão caupi. O Centro possui seis laboratórios de pesquisas.

Fonte: Secom