Estado

Foto: Divulgação Comissão de concurseiros espera solução para impasse Comissão de concurseiros espera solução para impasse

Os mais de 104.512 mil candidatos que fizeram o certame do Quadro Geral do Estado em 15 de fevereiro de 2010 continuam indignados com a pendência do certame mesmo com dois anos de sua realização.

O certame prevê 6.532 vagas para o quadro geral e foi realizado na gestão de Marcelo Miranda (PMDB) passando pelo governo de Carlos Henrique Gaguim (PMDB) e chega no governo Siqueira Campos (PSDB) ainda sem solução.

Mesmo sendo a forma legal de nomeação dos cargos na administração ainda não há expectativa para o fim deste impasse. O certame é alvo de investigação judicial sob denúncias de irregularidades nos lacres das provas.

O advogado Florismar Sandoval foi quem entrou na justiça através de uma ação popular pedindo o cancelamento do certame. Ele também fez as provas.

Atualmente o processo está na 3º vara dos Feitos da Fazendas e Registros Públicos de Palmas e tem como responsável a juíza Ana Paula Araújo Toríbio.

Sem previsão

Tanto a Unitins, responsável pela aplicação das provas, como o governo Estadual aguardam o parecer da justiça para dar seguimento ao certame. A postura de cautela incomoda uma comissão de concurseiros composta por cerca de 2 mil pessoas e que fazem constantemente mobilizações para que a situação se resolva.

O presidente da comissão, Cláudio Nogueira defende que a justiça dê prioridade a resolver essa situação. O grupo se mobiliza principalmente através de redes sociais enquanto aguarda o fim dessa novela.

Outra entidade que também aguarda resposta para o caso é o Sindicato dos Servidores Públicos do Estado.