Estado

Foto: Divulgação

O procurador geral de justiça, Clenan Renault de Melo Pereira, se reuniu com o secretário de Segurança Pública do Tocantins, João Costa Ribeiro Filho, nesta terça- feira, 14, a fim de discutir a implantação de ações imediatas no sistema penitenciário no Estado.

Durante o encontro realizado na sede do MPE, o procurador geral de justiça, apresentou ao secretário de segurança o abaixo assinado dos presos da Casa de Prisão Provisória de Palmas contendo diversas reivindicações. Sobre a fossa que transborda regularmente causando mal – estar, o governo se comprometeu junto ao MPE a criar uma usina para tratamento de esgoto. A escola utilizada pelos detentos e a fábrica de bolas que funcionam dentro da CPP e estão fechadas devem ser reabertas nos próximos 30 dias.

O secretário de segurança também deve buscar junto ao Poder Judiciário medidas para que sejam viabilizadas a revisão de penas dos presos que já cumpriram a condenação estipulada e a implantação do sistema de albergado, para onde devem ser transferidos 60 presos da CPP de Palmas. Haverá ainda a construção na cidade de Gurupi uma casa prisional para abrigar 32 presos de todo o Estado com deficiência mental. O prazo para cumprimento destas iniciativas é de 30 dias.

Em relação ao Presídio Barra da Grota em Araguaina o secretário de segurança disse ao procurador geral que o local estará funcionando no prazo de 45 dias com cerca de 400 vagas para abrigar presos condenados. Caso o governo descumpra os prazos estabelecidos o MPE ajuizará as ações cabíveis.

“É inadmissível que o sistema prisional esteja nesta situação tão precária. A regularização deste sistema é uma luta antiga e constante do MPE, várias ações já foram ajuízadas ao longo dos últimos anos. Se os presos fazem greve de fome, fazem rebeliões, a sociedade está em risco e o governo precisa se responsabilizar por isto” destacou o procurador geral de justiça, Clenan Renault.

Fonte: Assessoria de Imprensa MPE-TO