Saúde

Foto: Lia Mara

O setor da saúde do Estado continuará ainda sem tempo determinado para a atuação do grupo de Força Tarefa coordenado pelo secretário interino da Saúde, Arnaldo Alves Nunes e que tem ainda à frente o secretário de Articulação Institucional, Raimundo Boi, como membro.

A informação foi dada pelo governador Siqueira Campos (PSDB) ao Conexão Tocantins nesta quinta-feira, 24, através de sua assessoria de imprensa. A pasta continuará sem secretário definitivo “enquanto houver necessidade de organizar a estrutura da Saúde”, segundo o governador.

Questionado se está satisfeito com a atuação da Força Tarefa e se já escolheu quem de fato comandará a pasta o governador salientou que não há risco nenhum de uma insatisfação com o trabalho da equipe. A escolha do secretário definitivo ainda não está sendo analisada pelo governo, segundo as informações.

“São homens honrados que estão se desdobrando em esforços para garantir a reestruturação do setor da saúde pública do Estado”, frisou.

Em breve os membros da força-tarefa vão divulgar para a imprensa os principais problemas que encontraram na gestão dos hospitais.

Parceria público-privada

O governo estuda como alternativa para melhorar a situação das unidades hospitalares a realização de parcerias público-privadas para a administração dos hospitais. A mesma ação será realizada nos presídios no Estado.

O governador já se reuniu com representantes da Confederação das Casas de Misericórdia do Brasil e pode fazer parceria com alguma entidade que compõe o grupo;. Há grandes chances da parceria ser feita com a Fundação São Camilo que em governos anteriores do tucano já foi responsável pela administração dos hospitais.

A parceria público-privada pode reduzir em 30% os custos do Estado e ainda aproveita o quadro de servidores do Estado aproveitando ainda 20% de produtividade.