Estado

Foto: Divulgação

Durante reunião realizada nesta quinta-feira, 24, entre secretarias de estado, entidades sociais, polícia comunitária, instituições financeiras e religiosas, foram apresentadas propostas de projetos para promoção de inclusão produtiva no Tocantins. Uma ação macro e integrada de governo para apoiar investimentos econômicos e sociais nos grupos populares em situação de vulnerabilidade social, ou seja, junto às cooperativas, associações e pequenos empreendimentos, além de beneficiários de programas e projetos sociais.

Na prática esses projetos devem capacitar os beneficiários, dar apoio logístico na organização de unidades produtivas, fortalecer e estimular a produção e a comercialização de produtos advindos da economia solidária.

Segundo o secretário de Trabalho e Assistência Social, Agimiro Costa essa estratégia faz parte de um grande plano de ação que deve ser executado pelo Governo do Estado para o combate à miséria e à fome. “A Economia Solidária faz parte de um dos eixos para solucionarmos o problema da miséria no Estado, e o nosso papel é oferecer subsídios para as comunidades conseguirem a sua autonomia”, concluiu.

Estão catalogados no estado do Tocantins 502 empreendimentos sociais de Economia Solidária, desses 378 são Associações, 93 grupos informais, 26 Cooperativas e quatro são Sociedade Mercantil de capital e indústria, dado que segundo o Diretor de Inclusão Produtiva da Secretaria de Trabalho e Assistência Social, Valter Frota, deve ser ampliado após a divulgação de mapeamento que será realizado pelo Fórum Regional de Economia Solidária do Tocantins em parceria com a Fundação Universidade do Tocantins – Unitins.

A próxima reunião está marcada para o dia 03 de março às 14 horas na sala de reuniões da Setas já para elaboração conjunta de projetos.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Setas