Estado

Foto: Divulgação

Em entrevista ao Conexão Tocantins o delegado Jacson Ribas, responsável pela investigação da morte do coordenador do Centro de Direitos Humanos de Cristalândia e ativista da área, Sebastião Bezerra da Silva, informou que a polícia ainda busca os dois irmãos suspeitos de praticarem o crime.

Um agente policial do Tocantins e ainda a delegacia de investigação de Goiânia está à procura dos suspeitos Ricardo José Gonçalves, de 20 anos e Janes Miguel Gonçalves Junior, de 19 anos. “Tudo o que temos apurado foi repassado para a delegacia de Goiânia”, informou o delegado.

Os suspeitos não tinham ocupação, segundo o delegado, um deles de vez em quando trabalhava num depósito de gás.

A polícia chegou até os suspeitos depois que uma tia delesdeu depoimento revelando que ambos pediram emprestado uma pá no dia do crime, “ Procuraram uma pá na casa da tia, ela emprestou e uma hora depois retornaram com o carro da vítima”, conta.

A tia dos suspeitos revelou ainda que eles estavam apreensivos quando devolveram a pá.

Os suspeitos já estão confirmados como os assassinos, segundo o delegado, faltando apenas apurar os motivos. “Não descartamos nenhuma possibilidade”, disse Ribas.

Sebastião Bezerra da Silva foi morto no dia 27 de fevereiro e encontrado com sinais de espancamento e dentro de um formigueiro.

A morte do ativista, que vinha sendo ameaçado desde novembro segundo relatou a amigos, despertou revolta em várias entidades dos Direitos Humanos no Estado e nacionalmente.