Estado

Foto: Regis Caio Reconstituição aconteceu hoje Reconstituição aconteceu hoje

Foi feita na tarde desta quarta-feira (23) pela Delegacia Especializada de investigações Criminais (Deic) a reconstituição do assassinato do ativista Sebastião Bezerra, de 40 anos, morto no dia 27 de fevereiro.

Participaram da simulação os irmãos acusados do assassinato, Janes Miguel Gonçalves Junior, de 19 anos, e Ricardo José Gonçalves, de 20 anos. A primeira parte da reconstituição aconteceu no Motel Nigth e Day, que fica em um bairro de Gurupi. A Deic ainda utilizou um boneco com altura e peso semelhante ao da vítima para ser usado na reconstituição.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Jacson Ribas, foi no motel onde o crime começou, quando Ricardo com a ajuda de seu irmão enforcaram a vítima para assaltá-lo só que com a reação eles o enforcou cada vez mais. Na sequencia eles perceberam que Bezerra estava agonizando e prestes a morrer foi quando eles o levaram para uma fazenda próximo a Dueré, onde o corpo foi encontrado.

Ainda segundo a perícia, eles tentaram enterrá-lo em um local só que não tiveram sucesso e foram para outro ponto onde a terra estava fofa, foi neste momento que eles aproveitaram e com uma pá, que fora pega na cidade de Dueré, deram várias pancadas em Bezerra que ainda agonizava. Após a morte eles enterraram Bezerra e foram para outra fazenda onde eles queimaram os documentos do ativista.

Segundo o delegado Jacson Ribas, com a reconstituição vários pontos que ainda estavam sendo apurados com dificuldades foram esclarecidos.

A polícia começa a descartar a possibilidade de participação do terceiro irmão, Rogério Gonçalves.

Os acusados colaboraram com o trabalho da polícia, no entanto, quando a imprensa se aproximava eles rejeitavam fazer a simulação e para facilitar o trabalho da imprensa os peritos simularam o momento do assassinato.

Fonte: Jornal Cocktail Online