Economia

Pesquisa realizada pelo Sebrae Tocantins avaliou o ano de 2010 e procurou saber quais as perspectivas dos empresários para 2011 com relação a economia.

Cerca de 400 empresários foram entrevistados para um levantamento sobre o desempenho do ano passado e como andam as expectativas com relação à situação econômica para 2011 no Brasil e especificamente, no Tocantins. A sondagem realizada pelo Sebrae mostra que grande parte está confiante. Os dados da pesquisa impressionam, pois apenas uma parcela mínima dos empresários achou que a economia brasileira piorou em 2010 e 92% deles acreditam no crescimento de suas empresas. As entrevistas foram realizadas no mês de março.

De acordo com a sondagem, os empresários estão apostando na economia brasileira. 88% estão confiantes ou muito confiantes. Pelos dados obtidos, a concorrência deve se manter estável e ainda sob o olhar dos empresários, as vendas podem alcançar um aumento de 89%, crescendo a oferta de emprego em 60%. Já no ranking das possíveis dificuldades a serem enfrentadas no primeiro semestre de 2011 estão a diminuição de vendas, a falta de capital de giro e a falta de mão de obra qualificada.

Esta primeira sondagem vem corroborar as percepções da realidade, pois segundo o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica), o Produto Interno Bruto do país cresceu 4,58% em janeiro, se comparado ao mesmo mês do ano passado. Para Paulo Massuia, superintendente do Sebrae, a economia está convidativa. “A situação econômica no país de modo geral está estável e isso contribui para uma economia crescente. As empresas melhoraram em 2010 por diversos fatores, e isso dá um conforto maior para o empresário arriscar e colocar mais dinheiro em seu negócio”, afirmou.

A amostra representativa foi selecionada aleatoriamente utilizando o cadastro empresarial do Sebrae. A quantidade de empresas foi calculada de acordo com o universo das micro e pequenas empresas existentes por Núcleo Regional do Sebrae. Segundo o censo 2005, o número de empresas no estado é de pouco mais de 28 mil, sendo que, praticamente 98% são MPEs. Dos entrevistados, quase 100% eram formalizados.

A pesquisa contará ainda com outras etapas ao longo do ano, como conta o analista da Unidade de Gestão Estratégica da instituição, Higino Piti. “Esta é a primeira etapa da sondagem. Devemos realizar ainda mais quatro etapas com temas diferenciados, de acordo com o mercado. São perguntas simples e que, para maior comodidade do empresário, pode ser feita por telefone mesmo. Nós utilizamos o próprio Call Center do Sebrae para aplicarmos o questionário que tinha apenas 15 questões”, ressalta.

Dentre os dados obtidos neste relatório estão o aumento de 93% nas vendas no ano de 2010 que consequentemente irão possibiltar um maior investimento na empresa. 67% deles garantem realizar investimentos, sendo que os primeiros colocados na lista de possíveis investimentos são: ampliação de instalações, aquisição de máquinas e equipamentos e aumento do estoque. Outro dado interessante é a forma de pagamento mais utilizada pelas empresas em 2010, em primeiro lugar ficou o pagamento à vista. Do universo da pesquisa, 51% eram empresas voltadas a prestação de serviço, 40% comércio e 9% indústrias.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Sebrae