Polí­tica

Foto: Divulgação Cavalcante defende testes psicológicos para o porte da arma Cavalcante defende testes psicológicos para o porte da arma

O vereador de Palmas, Aurismar Cavalcante (PP), na sessão desta quarta-feira, 13, apresentou sua opinião acerca do acontecimento no Rio de Janeiro que abalou o Brasil e sobre a falta de segurança. Segundo o vereador, as armas, se usadas com segurança, promovem maior segurança ao cidadão já que poderão utilizá-las como forma de inibir a ação de bandidos. Ele lamentou o acontecimento de Realengo no Rio de Janeiro e lembrou das vítimas indefesas.

O porte de arma é expedido pela Polícia Federal e só pode ser conseguido com a comprovação de capacidade técnica e de aptidão psicológica, fornecida somente pelos profissionais credenciados a Policia Federal, com uso exclusivo para exercício de atividade profissional de risco ou de ameaça à integridade física.

Para Cavalcante, o porte de arma vai além. “As pessoas têm que fazer testes psicológicos para o porte da arma, então não há motivos para que não possamos ficar a mercê de bandidos e da falta de segurança. Em casa que vende licitamente armamento, não existe arma para bandidos, porque bandido usa armas importadas com maior potência”, explica.

Em sua fala, ele disse: “Conseguimos a democracia com muita luta e agora estão querendo nos tirar esse direito de portar armas, de forma responsável. Estamos indefesos, assim como as crianças no Rio. Podemos estar no gabinete trabalhando e chegar uma pessoa com arma e fazer todos refém. Pode acontecer a qualquer um”.

Ainda ao final completou dizendo que o Estado tem que investir ainda mais em benefícios a população. “O Governo Federal deve investir mais em emprego, segurança e educação. Esses são os pilares para que a violência acabe. Nós ainda vivemos em um país que militares devem andar armados para combater o crime. Enquanto a realidade é esta, devemos nos precaver e lutar por mais segurança armada”.

Fonte: Assessoria de Imprensa Aurismar Cavalcante