Saúde

Foto: Divulgação

O Diretório Central dos Estudantes do ITPAC Araguaina em conjunto com Diretório Central dos Estudantes do ITPAC Porto Nacional encaminharam nota de repúdio às declarações contrárias por parte do Sindicatos dos Médicos e ainda pelo curso de Medicina da Universidade Federal do Tocantins em razão da instalação do curso em Palmas.

Na nota os diretórios argumentam que há uma carência de profissionais na região norte e ainda que não há motivos para impedir a instalação da Faculdade na capital.

Críticas às condições do curso do ITPAC também são rebatidas pelos diretórios, sendo assim argumentam na nota que o curso está no mesmo nível das melhores escolas médicas do país.

Veja a íntegra da nota:

NOTA DE ESCLARECIMENTO E REPÚDIO

DCE -DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES

ITPAC – INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTONIO CARLOS

ITPAC PORTO NACIONAL – INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTONIO CARLOS PORTO

O Diretório Central dos Estudantes do ITPAC ARAGUAÍNA em conjunto com Diretório Central dos Estudantes do ITPAC PORTO NACIONAL, representados neste ato por seus respectivos presidentes e presidente eleito (ITPAC ARAGUAÍNA), no uso de suas atribuições legais e, visando resguardar e preservar o direito de todos nós, estudantes destas respeitáveis instituições, considerando a nota de repúdio, amplamente divulgada pela imprensa, local e regional, escrita e falada, subscrita pelo Presidente do Centro Acadêmico Eduardo Manzano, representante dos estudantes da UFT – Universidade Federal do Tocantins e pelo CRM-TO – Conselho Regional de Medicina do Estado do Tocantins, representado por sua Presidenta, atacando severamente a instalação do Curso de Medicina do ITPAC na cidade de Palmas-TO, considerando que tais notas e divulgações, ferem a honra, a moral e a credibilidade dos estudantes do ITPAC, considerando ser ofensivo e agressivo o tom da abordagem, desmoralizando aqueles que no ITPAC graduaram-se médicos e aqueles que, ainda, estão por graduar-se, vem a público demonstrar a inveracidade dos fatos e o absurdo das afirmações contra o ITPAC:

-Qualquer cidade ficaria honrada com a instalação de uma faculdade de Medicina, sabendo dos benefícios sociais que o Curso traria para a sua região;

-Que os alunos do curso de medicina do ITPAC recebem a qualificação necessária e indispensável para sua formação acadêmica, estando no mesmo nível das melhores escolas médicas do país, sendo certo, que todos os graduados, que assim o desejaram, foram aprovados em residência médica em hospitais escolas de todo o País;

-Nossas Faculdades, Araguaína e Porto Nacional, representam muito no contexto social destas nossas cidades, estando diretamente ligada ao grande desenvolvimento recente da região, e qualquer pessoa pode verificar a estrutura física e humana do ITPAC nas respectivas cidades, inclusive, a Liga do Trauma, formada por acadêmicos de Medicina- ITPAC ARAGUAÍNA, alcançou destaque e Padrão Ouro. Possuímos inúmeros exemplos que comprovam que nossos alunos recebem o acesso adequado a habilidades e conhecimentos que podem torná-los excelentes profissionais e cidadãos. As críticas quanto a falta de vagas e estrutura para estagiários são injustificáveis, salvo que agora vocês não contarão com inimigos, mas sim com novos colegas, fortes aliados, que irão ajudá-los, gerar sinergia, e engrossar a luta pelas conquista de melhores condições de aprendizado para todos.

-Quanto ao alegado pelo DCE-UFT registramos surpresa, pois que, nenhuma turma formou, a maioria dos professores que lecionam na UFT, lecionam ou lecionaram nas escolas de medicina do Tocantins,inclusive, nos ITPACS, sendo certo que, muitos deles já possuíam ampla experiência, adquirida nas escolas médicas do Tocantins (repita-se), a parte acadêmica (estágios e internato), estão se desenvolvendo com absoluta tranqüilidade, neste aspecto, ressaltamos a eficiência da SESAU-TO, que tem conduzido com total harmonia e qualidade todos os acadêmicos da área da saúde.

-Nós, alunos e alunas, do curso de medicina dos ITPACS, vimos com pesar o pronunciamento da presidenta do CRM-TO, professora da disciplina de ética em Araguaína, que evidencia o corporativismo, que na prática mais parece ‘reserva de mercado’. Sabemos que as regiões Norte e Nordeste sofrem com a falta de médicos, principalmente nos interiores. O próprio MEC reconhece a necessidade de abertura de novos cursos de medicina no País.

-Por todas estas razões, repudiamos toda manifestação contrária ao ensino superior, um verdadeiro retrocesso no processo educacional brasileiro.

DEYKSON DA LUZ PEREIRA -PRESIDENTE DCE-ITPAC ARAGUAÍNA

JOÃO FELIPE BORGES BENTO - PRESIDENTE ELEITO DCE – ITPAC ARAGUAÍNA

ULISSES TOMAZ MONTEIRO -PRESIDENTE DCE – ITPAC PORTO NACIONAL

Por: Redação

Tags: Itpac, Simed, UFT