Estado

Foto: Divulgação

O vereador de Palmas, Bismarque do Movimento (PT) que representa movimentos sociais de luta pela moradia manifestou apoio à ocupação que o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e Via campesina realizaram na Fazenda Dom Augusto na quinta-feira, 21, em Porto Nacional.

O vereador manifestou-se contra o despejo das famílias que ocuparam a Fazenda. Na nota Bismarque afirma acreditar que "que a desapropriação de terras em que existem ocorrências sobre crime de trabalho escravo contemporâneo, que é o caso da Fazenda Dom Augusto denunciada em 2006, para fins de reforma agrária é uma medida importante para coibir a exploração dos trabalhadores rurais e fortalecer a agricultura familiar".

Veja a íntegra da nota:

Como representante dos Movimentos Sociais no Legislativo Municipal de Palmas e militante do Movimento Nacional de Luta pela Moradia, declaro apoio ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e Via Campesina que organizaram ocupação de 500 famílias à Fazenda Dom Augusto em Porto Nacional no mês de Abril de 2011.

Acredito que a desapropriação de terras em que existem ocorrências sobre crime de trabalho escravo contemporâneo, que é o caso da Fazenda Dom Augusto denunciada em 2006, para fins de reforma agrária é uma medida importante para coibir a exploração dos trabalhadores rurais e fortalecer a agricultura familiar. Medidas como esta são fundamentais para gerar condições dignas de produção e trabalho aos camponeses e camponesas do Estado.

Considero arbitrário o despejo destas famílias que estão lutando pelo direito de produzir e permanecer no campo. A função social de propriedade é uma determinação da Constituição Federal que devemos lutar para que seja respeitada, visando garantir desta forma a redução da concentração de terras no Estado, proporcionando aos trabalhadores rurais sem terra condições de produzir e garantir o sustento de suas famílias com a força do seu trabalho, livre de qualquer tipo de exploração.

Vereador Bismarque do Movimento