Polí­tica

Foto: Conexão Tocantins

Em entrevista ao Conexão Tocantins durante a sessão da manhã desta terça-feira, 26, na Assembleia Legislativa, a deputada Solange Duailibe (PT) frisou que ainda aguarda a notificação oficial do partido quanto sua expulsão dos quadros da sigla. A deputada destacou que o mesmo ainda não aconteceu com o prefeito de Palmas, Raul Filho (PT).

Solange informou que somente depois de recebida a notificação oficial do diretório estadual do PT, poderá iniciar o processo de recurso e defesa junto ao Diretório Nacional do partido.

No entanto, a deputada já tem seus argumentos preparados para levar ao conhecimento da Nacional petista, no momento certo. De acordo com a deputada, a nacional do partido deverá adotar uma postura imparcial com relação ao seu julgamento e de Raul.

Uma das alegações do PT do estadual para a expulsão do casal, foi o apoio dos dois ao senador João Ribeiro (PR) na eleição de 2010. Segundo Solange, o PT deveria ter imparcialidade e pedir a expulsão de outros políticos renomados do partido pelo mesmo motivo que os levou à expulsão. “Eles alegaram infidelidade partidária pelo prefeito ter apoiado o senador João Ribeiro. Então o Diretório Nacional vai ter que ter imparcialidade e julgar o (senador Aluísio) Mercadante por também ter declarado apoio ao senador aqui no Tocantins”, disse.

Críticas a Donizeti e Santana

A deputada também não poupou críticas ao presidente regional do PT, Donizeti Nogueira e ao prefeito de Colinas do Tocantins, José Santana Neto, quanto sua postura à frente do Partido dos Trabalhadores do Tocantins. Segundo Solange, “o diretório regional não tem imparcialidade e está nas mãos do Donizeti e do Santana que estão à frente do partido há 20 anos. Quem manda no regional são eles”, completou a deputada.