Polí­tica

O senador Vicentinho Alves (PR) saiu em defesa ao posicionamento do senador João Ribeiro (PR) e afirmou que as indicações para cargos no governo federal no Estado não podem sofrer pressão de quem não conta com partidários eleitos no Tocantins para ter representatividade no Congresso Nacional.

O senador Vicentinho Alves afirmou que não concorda com a pressão que segundo ele o presidente do PT no Tocantins, Donizeti Nogueira tenta realizar sobre indicações para cargos federais na estrutura do Ministério do Desenvolvimento Agrário.

“As indicações, avaliadas em conjunto com a bancada federal do Tocantins, foram discutidas item por item em forma de rodízio com cada parlamentar. Eu mesmo gostaria de ter indicado o nome para a Funai, mas me coloquei à disposição do interesse harmonioso das indicações propostas pelos componentes da bancada.”, diz Vicentinho

Para o parlamentar, o senador João Ribeiro “está correto em não aceitar interferência por parte do PT do Tocantins” e conta “com seu total apoio”.

Vicentinho frisou que o PT teve oportunidade de indicar o órgão. “O sr. Donizeti, presidente do PT, participou da reunião da bancada, a convite do senador João Ribeiro, mesmo com o PT do Tocantins, que dispôs de todo o apoio e popularidade do presidente Lula, em oito anos de governo, não ter conseguido eleger sequer um representante do Estado no Congresso Nacional. Mesmo assim, contaram com a consideração de ser chamados para a discussão, onde o Sr. Donizeti, naquela reunião, junto com todos os presentes, concordou sobre as definições das indicações", salientou.

O senador falou ainda sobre a força de atuação do ministério.“O MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário) não deve ser feudo político de ninguém. Ele está à serviço da sociedade, atendendo as orientações da Presidenta Dilma Rousseff, seguindo seus melhores princípios para o País.”