Polí­cia

Foto: Rogério Ribeiro Família do trabalhador assassinado encontra cápsulas de ponto 40 e clama por justiça Família do trabalhador assassinado encontra cápsulas de ponto 40 e clama por justiça

O Ministério Público Estadual (MPE) deverá receber na próxima quarta-feira, 4, o inquérito policial (IP) que compõe o caso do assassinato do trabalhador Everaldo de Moraes Araújo, que tinha 35, anos.

As investigações estão em estágio avançado, entretanto, não deverão ser concluídas esta semana, conforme havia previsto o delegado titular da Delegacia Especializada em Investigações Criminais (DEIC) e responsável pelo inquérito policial, Hudson Guimarães Leite.

Segundo o delegado o primeiro laudo da perícia comprova que o projétil partiu da pistola ponto-40, “a bala entrou debaixo da axila e saiu perto do peito, provocando morte instantânea. Após analisá-lo requisitei um novo laudo detalhado”, disse Guimarães Leite. Segundo o delegado, apenas depois de receber estas informações é que deverá concluir o inquérito policial e remetê-lo ao Ministério Público Estadual dentro do prazo, na próxima quarta-feira, 4.

O delegado Guimarães Leite destaca que a busca de verdade real é o princípio norteador do processo penal. “Todos os meios lícitos serão utilizados como prova na persecução penal. Dentre eles, destacamos a importância dos laudos periciais serão conclusivos”, disse.

No novo laudo o titular do DEIC faz as seguintes indagações que não constam no laudo atual:

1 - O tiro foi disparado a curta, média ou longa distância?

2- A trajetória do projétil foi frontal e na horizontal ou em aclive ou declive?

Veiculo descaracterizado

Algumas pessoas ouvidas pela reportagem e que não quiseram ser identificadas informaram que na noite do assassinato um veiculo descaracterizado, marca Gol, cor cinza, adentrou no estacionamento em frente à Pizzaria Paço do Pão, atirando e em seguida uma viatura da PM acompanhava o veiculo Gol. As testemunhas disseram que a viatura entrou no estacionamento com a sirene e giroflex desligados. Na oportunidade da tragédia os policiais estavam em perseguição aos acusados de assaltarem um supermercado no centro de Palmas

Câmeras

As imagens gravadas pelas câmeras, próximas ao local do assassinato estão sendo periciadas. O laudo minucioso nas imagens está sendo feito segundo o delegado.

PMs Investigados

No primeiro interrogatório apenas um PM, ficou em silêncio e não respondeu as perguntas da autoridade policial. Cerca de vinte e cinco pessoas foram ouvidas, entre PMs, familiares e testemunhas na primeira etapa.

“A segunda etapa de interrogatório é para confrontar as possíveis contradições. Alguns Pms e testemunhas vão ser convocados novamente ainda esta semana”, segundo informa Guimarães Leite.

Cápsulas deflagradas

No dia 3 de abril, depois de 30 horas, do assassinato, a família do trabalhador, Everaldo de Moraes Araújo, vão até o local do crime, e encontrou três cápsulas deflagradas de pistola Ponto-40. Arma é de uso exclusivo das polícias militar, civil e federal. Na ocasião, após contato via telefone com o perito plantonista, Juliano, a família foi orientada a entregar as cápsulas na central de flagrantes, alegando que naquele momento não tinha condições de realizar uma nova perícia no local.

Diante da orientação do perito os familiares foram para a Depol, onde as cápsulas foram entregues para o delegado, Sandro Dias, e um termo de entrega das três cápsulas encaminhadas para a perícia foi feito.

A arma do assaltante

O revólver preto, 38, marca Taurus, foi encontrado em poder do assaltante, Pablo Mateus Pereira Araújo, 18 anos, ele contou que encontrou o revolver num matagal nas Arnos. A arma também foi examinada pela Polícia Técnica.

Atrito dos policiais

Segundo o assaltante, Pablo Mateus Pereira Araújo, 18 anos, quando o policial à paisano, que o estava perseguindo o rendeu, os PMs chegaram nas viaturas e começaram a discutir entre eles, “tipo assim o cara morreu...o cara morreu, depois vieram em minha direção e me chocaram no chão e falou a culpa foi sua...a culpa foi sua”, disse Pablo.