Campo

Foto: Divulgação

O superintendente do Incra no Tocantins, Ruberval Gomes da Silva está em plenária na manhã desta segunda-feira, 2, com os representantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) no auditório do Incra.

Os representantes dos movimentos, Antônio Marcos, Cirineu Rocha e Messias Vieira apresentaram a pauta das reivindicações que tem como base a desapropriação de terras improdutivas no Estado.

Além da desapropriação os líderes querem um comprometimento do Incra para melhorar a Infra-estrutura dos assentamentos.

Em entrevista ao Conexão Tocantins, Messias Vieira salientou que o acampamento em frente ao Incra continua com cerca de 400 famílias. “O número aumentou porque vieram vários assentados de outros lugares”, informou.

“Só vamos sair se o Incra se comprometer a assentar as famílias e marcar datas para isso além de melhorar a infra-estrutura dos assentamentos”, salientou.

Manifestação

O movimento começou a mobilização com uma ocupação na Fazenda Dom Augusto em Porto Nacional. As famílias tiveram que deixar o local por determinação da justiça e logo depois realizaram Marcha em algumas avenidas de Palmas.

Na quinta-feira, 28, os manifestaram ocuparam a sede do Incra até que o superintendente os recebesse e entrasse em acordo sobre a manifestação.