Campo

Foto: Lenito Abreu

Equipes de captura de morcegos hematófagos da Adapec - Agência de Defesa Agropecuária – visitarão cerca de 10 propriedades rurais em Rio Sono, região Leste do Estado, a 148 km de Palmas. O objetivo é realizar um monitoramento em cavernas e capturas em currais, entre os dias 24 a 27 de maio, para o controle populacional desses animais considerado os maiores transmissores da raiva na zona rural.

Como parte da ação, o responsável pelo Programa Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros e outras Encefalopatias, José Emerson Cavalcante Gomes, ministrará uma palestra sobre a Raiva, nesta quarta-feira, 25, a partir das 18hs, na Câmara Municipal de Rio Sono, direcionada aos produtores rurais e comunidade. “Abordaremos as formas de prevenção, transmissão e controle da doença”, destaca.

Segundo Cavalcante, as equipes se deslocam, assim que solicitadas, as propriedades rurais que registraram a existência de morcegos hematófagos ou vão habitualmente uma vez por ano, monitorar os abrigos que tem comprovadamente a existência do animal. Depois de presos, os morcegos recebem uma pasta vampiricida no dorso e são soltos. Ao voltar para o abrigo, os morcegos têm o hábito de lamber o vizinho e com a pasta morrem. “Cada animal capturado e tratado com a pomada chega a eliminar 20 outros morcegos hematófagos” explica.

Segundo o presidente da Adapec, Geraldino Ferreira Paz, a raiva é uma doença grave que pode ser transmitida ao homem, por meio de sugadura do morcego infectado ou até mesmo pelo contato com a saliva dos bovinos doentes. “Os produtores precisam estar atentos e vacinar os animais. Além disso, notificar a Adapec qualquer suspeita da doença”, ressalta acrescentando que a ação de captura não gera nenhum custo ao produtor e ajuda o controle da doença.

Sintomas no animal

Depois de infectado pelo morcego hematófago, o animal apresenta alguns sintomas como isolamento do restante do rebanho, apatia, perda de apetite, salivação abundante e dificuldade para engolir. Com a evolução da doença, tem movimentos desordenados, tremores musculares e ranger de dentes. Após algumas horas, apresenta paralisia dos membros e em até 10 dias ocorre à morte.

Fonte: Assessoria de Imprensa Adapec