Campo

Foto: Divulgação Colheita de soja em Guaraí Colheita de soja em Guaraí

A agricultura tocantinense bate novo recorde na produção de grãos da safra 2010/2011. Foram mais de 2,1 milhões toneladas, um aumento de 13,3%, em relação à safra passada, consolidando assim o Tocantins como o maior produtor de grãos da região Norte do Brasil, responsável por 46% da produção e 39% de área cultivada. Os dados são da Comissão Estadual de Levantamento de Informação Agrícola, formada pela Seagro - Secretaria Estadual da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Conab – Companhia Nacional de Abastecimento, Adapec – Agência de Defesa Agropecuária, Ruraltins – Instituto Rural do Tocantins e agentes financeiros.

A área plantada também evoluiu. Com 677, 950 hectares, a área atual apresentou um crescimento de 6% a mais que a safra 2009/2010. Já a área com soja, que corresponde a 53,9%, obteve um aumento de 8,8% se comparada à anterior, resultando na produção de 1,1 milhões de toneladas, o que significa 13,5%a mais. O levantamento mostrou ainda que a produtividade no cultivo da soja, também cresceu. Com 3.100 kg/ha, o acréscimo foi de 4,2% em relação à safra passada.

Comum a produtividade de 3.878kg/ha, índice 13,5% maior que na safra passada, o milho também apresentou excelentes resultados. Com 15,2% a mais de área plantada, a produção de milho foi de mais de 340 mil toneladas, um aumento de 30,5% .

De acordo com o engenheiro agrônomo da Seagro José Waltex Alexandre Aguiar, foram vários os fatores que influenciaram o recorde. “O preço favorável do mercado interno e no externo acima da média, em relação à safra anterior, incentivaram o aumento da área plantada. Já na produção, a utilização de insumos e defensivos, principalmente o adubo, que teve redução de preço e a utilização de tecnologias, como o plantio direto, agricultura de precisão e a utilização sementes certificadas são alguns dos fatores que contribuíram para esse resultado”, explicou.

Segundo o agrônomo, as condições climáticas também colaboraram para o aumento da produção de grãos. “O período chuvoso foi bem distribuído durante a fase de cultivo das culturas, favorecendo assim a produtividade”, completou Aguiar.

Fonte: Ascom Seagro