Educação

Os professores da Universidade Federal do Tocantins (UFT) irão parar suas atividades nesta terça-feira, 21, em todos os turnos nos sete campi distribuídos pelo Estado.

O presidente da Seção Sindical dos Docentes da UFT (SESDUFT), o professor do curso de direito, Vinícius Pinheiro Marques, conta que a paralisação será pacífica, sem fechamento de portões. “Acontecerá uma concentração dos professores para que possam trocar ideias e informações para a assembleia a ser realizada a partir das 14 horas, no auditório do bloco III, campus de Palmas”, esclarece.

Marques explica que através da paralisação a categoria pretende mobilizar e tornar consciente os principais pontos de reivindicação. “Será um momento de oportunizar o diálogo entre os professores, afim de que possam trocar ideias e informações sobre a mobilização e a possibilidade de entrar em greve”, destaca.

O presidente fala que os principais pontos da paralisação é a discussão sobre o aumento salarial e reestruturação da carreira docente. “A paralisação pretende oportunizar um novo momento de debate e diálogo entre os professores para que possam se manifestar quanto aos pontos de reivindicação”, afirma.

Marques diz que acontecerá assembleia geral, às 14 horas, no auditório do bloco III, campus de Palmas para decidir se iniciarão greve. “A assembleia geral é a expressão máxima da democracia. A diretoria do sindicato não pode induzir ou afirmar algo, em especial se os docentes irão aderir à greve ou não. Cabe aos professores sindicalizados participarem, opinarem e traçar as metas para que a diretoria cumpra sua função. O intento de entrar em greve está nas mãos dos professores”, acrescenta.

Fonte: Assessoria de Imprensa Sesduft

Atualizada às 15h30

Por: Redação

Tags: UFT, Vinícius Pinheiro Marques