Educação

Foto: Shara Rezende

Em assembleia realizada na tarde de ontem, no auditório do bloco III, campus de Palmas Universidade Federal do Tocantins (UFT), associados da Seção Sindical dos Docentes da UFT (SESDUFT) e professores decidiram iniciar greve a partir de segunda-feira (27) parando suas atividades nos sete campi da instituição no Estado. A justificativa para a paralisação do trabalho docente é que a categoria tem sofrido perdas salariais e de direitos trabalhistas, como também de plano de cargos e carreira a cerca de uma década.

O presidente da Sesduft, Vinícius Marques, afirma que esta é uma ocasião importante para a classe. “Trata-se de um momento histórico, pois a última greve das universidades federais ocorreu em 2005. Desde esse período houve perdas salariais e até mesmo de direitos. Portanto, busca-se com essa greve uma retomada da valorização da carreira docente”, explica.

Segundo Marques além da perda salarial, a categoria luta pela linha única nos contracheques. "Uma das nossas exigências é o aumento do salário base, pois este apresenta defasagem. Hoje, o professor aposentado tem redução de quase 60% no valor do seu contracheque, isso acontece devido às gratificações que recebemos somando 60% do nosso salário”, argumenta.

De acordo com o presidente da Sesduft o restante desta semana servirá para haver forte divulgação junto aos professores, a comunidade acadêmica e a própria sociedade. “No dia 27 (segunda-feira) haverá outra assembléia com o intuito de constituir a equipe do ‘comando de greve’ e confecção da agenda de atividades. Além disso, será comunicado ao Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN) a deliberação de greve aprovada em assembleia geral, bem como será estabelecido contato com as outras universidades federais que aderiram a greve, são elas Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e Universidade Federal do Pará (UFPA)”. A UFT é a terceira universidade federal a paralisar o trabalho docente.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Sesfuft

Por: Redação

Tags: UFT, Vinícius Marques