Campo

Foto: Joatan Silva

Representantes de órgãos do Governo ligados ao agronegócio se reuniram em Brejinho de Nazaré nesta sexta-feira, 24 de julho, para discutir os projetos de piscicultura no Estado. Na ocasião foram levantados os pontos fortes e possibilidades de expansão do setor. A necessidade de formalizar a política estadual da aquicultura foi o ponto principal das discussões.

Durante o encontro foi redigida uma minuta para propositura de um Projeto de Lei para a efetivação da política estadual da aquicultura. Essas propostas ainda serão discutidas no Coema – Conselho Estadual do Meio Ambiente.

“O governador Siqueira Campos quer prioridade nos trabalhos voltados para a aquicultura porque temos potencial. Temos as condições necessárias para fazermos as coisas acontecerem”, afirmou o secretário da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, Jaime Café. Segundo ele, a elaboração da política estadual da aquicultura será um “norte” para o desenvolvimento da aquicultura no Tocantins.

Presente na reunião, Miyuki Hyashida, subsecretária da Aquicultura e Pesca da Seagro, relatou as condições do setor. Segundo ela, no Tocantins existem sete indústrias de pescado, sendo duas delas de grande porte e que possuem condições de expandir sua produção. “Não falta mercado para o peixe produzido no Tocantins. O que precisamos é de políticas para fortalecer a nossa produção”, assegurou Miyuki, no decorrer da reunião, defendendo melhorias na legislação.

Um dos objetivos da política estadual de aquicultura é definição da legislação e das normas de sanidade para a produção de peixe no Tocantins. Além dessas ações, a subsecretária da Aquicultura e Pesca falou sobre o Projeto Piratins, que é voltado para o desenvolvimento da produção dos pequenos produtores, através das associações de pescadores. O projeto é desenvolvido pela Seagro e prevê a instalação de 500 tanques-rede e escavados em 11 municípios tocantinenses (Palmas, Peixe, São Salvador, Paranã, Porto Nacional, Lajeado, Tocantínia, Almas, Miracema do Tocantins, Ipueiras e Brejinho de Nazaré). Há previsão ainda da venda desse pescado para as escolas da rede pública desses municípios.

Para estruturação das ações voltadas ao fortalecimento da aquicultura no Tocantins a Seagro trabalha em parceria com as secretarias das Oportunidades, das Cidades e da Ciência e Tecnologia. Além do órgão de controle de sanidade, a Adapec, de licenciamento ambiental, o Naturatins. “A piscicultura no Tocantins é um grande caminho de oportunidades para o desenvolvimento. Isso é fato notório. As ações organizadas e a criação da política estadual da aquicultura serão fundamentais para por em prática as iniciativas e, de fato, gerar renda e melhorias nas condições de vida para as comunidades e toda população”, afirmou o secretário das Oportunidades, Omar Henneman.

Um dos delineamentos da reunião em Brejinho de Nazaré foi a necessidade de um zoneamento completo sobre a aquicultura no Tocantins. Para esta ação, a Seagro buscará uma parceria com a CNA – Confederação Nacional da Agricultura. A discussão envolveu ainda os presidentes da Adapec, Geraldino Ferreira Paz, e Naturatins, Alexandre Tadeu.

Fonte: Assessoria de Imprensa Seagro