Polí­cia

Foto: Fernando Campos

Através de convênio firmado com a Secretaria Estadual da Educação (Seduc), na tarde desta quarta-feira, 22, o Serviço Nacional da Aprendizagem Industrial do Tocantins (Senai/TO), oferecerá cursos de qualificação profissional para presidiários do regime semiaberto. Os cursos serão realizados na Unidade de Regime Semiaberto (Ursa), em Palmas.

O Senai Tocantins e a Seduc devem organizar e realizar os cursos por meio de uma estratégiade operação com ações consorciadas das atividades e utilização intensiva da Ursa. A Seduc disponibilizou 60 vagas das 300 previstas para Palmas. Os cursos, que terão carga horária de 200 horas, abrem 40 vagas para o curso de eletricista de instalações comerciais e Residenciais e 20 vagas para o curso de pedreiro.

O atendimento será feito através do acompanhamento didático pedagógico das equipes técnicas da Seduc e Senai e através da utilização de unidades móveis e kits didáticos.

Durante evento, a diretora regional do Senai, Raimunda Tavares, falou das chances dos reeducandos saírem dos cursos e irem para o mercado de trabalho. “São áreas que demandam mão de obra qualificada e a área da construção civil é grande no nosso Estado. Existe uma preocupação com relação à inclusão de todo esse pessoal no mercado de trabalho. O Senai possui profissionais totalmente competentes para ministrar os cursos e fazer a diferença na vida desse pessoal”, afirma a diretora.

De acordo com a subsecretária da Educação do Tocantins, Marciane Machado, foram adquiridas 700 bolsas, através do convênio, que serão divididas para Educação de Jovens e Adultos (EJA). “A educação prisional também faz parte do EJA e realocamos 60 para a Ursa. Essas bolsas serão distribuídas ainda para as regionais de Araguaína e Gurupi”, diz.

Para o secretário estadual da Segurança, Justiça e Cidadania, João Costa Ribeiro Filho, o convênio é um marco no sistema prisional do Tocantins. “Esse convênio é fundamental para o nosso Estado. Grande parte desses presidiários são analfabetos funcionais. Precisamos levar a escola para perto dos presos para que eles possam se qualificar e nunca mais voltar para prisão. A proposta do governador Siqueira Campos é não desistir das pessoas. Esperamos que eles saiam daqui qualificados, prontos para o mercado de trabalho e que nunca mais pratiquem crimes”, diz Costa.

Fonte: Ascom Senai