Palmas

Foto: skyscrapercity.com Em alguns pontos da cidade há limitação para construção de pavimentos Em alguns pontos da cidade há limitação para construção de pavimentos

A Comissão de Administração Pública, Urbanismo e Infraestrutura Municipal, presidida pelo vereador Fernando Rezende (DEM), decidiu nesta terça-feira, 5, marcar uma nova reunião para discutir as mudanças no Código de Obras e no Uso e Ocupação do Solo, desta vez reunindo os representantes das construtoras, filiados ao Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon), e os técnicos da Prefeitura de Palmas. O encontro será quinta-feira, 15 horas, quando a comissão se reúne às 9 horas com o Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação.

No encontro desta terça, os construtores consideraram tímidas as alterações propostas no código. “Precisamos ter uma válvula para a exceção”, disse o arquiteto e empresário Silênio Camargo, depois de reclamar que, em Palmas, não se pode fazer um prédio diferente como, por exemplo, os da Avenida Paulista, em São Paulo. O empresário afirmou que o Código de Obras é do Rio de Janeiro, foi copiado por Belo Horizonte, depois por Goiânia e, por último, por Palmas. “É completamente inadequado, pois se atém a pé direito, tamanho de janela, iluminação. Traz o que aprendemos na faculdade”, diz.

Para ele, as mudanças são muito tímidas e não vão resolver quase nada. O vereador Fernando Rezende concorda com a necessidade de mudar completamente o Código de Obras. “A Câmara quer, os técnicos querem, e o processo da Prefeitura está parado na Fazenda”, reclamou.

Rezende reforçou, no entanto, a necessidade de aprovar, neste momento, as mudanças propostas, pois há diversos empreendimentos parados em Palmas, aguardando a apreciação dessas matérias.

O presidente do Sinduscon, Luciano de Carvalho, citou um edifício a ser construído na Avenida Teotônio Segurado, onde o empreiteiro quer fazer quatro pavimentos de garagem o que, pelo atual código, não é permitido.