Estado

Foto: Divulgação

Em 2010, no Tocantins, foi registrada uma média de 14 acidentes de trânsito por dia. De janeiro a agosto, foram 3.531 ocorrências, em que 186 pessoas perderam a vida. Por trás das estatísticas está a dor irremediável das famílias, estão pessoas que tiveram que reaprender a viver com as limitações físicas adquiridas e está o fato de que a sociedade precisa se unir para transformar essa realidade. Caso contrário, todos estarão sujeitos a serem as próximas vítimas.

A oportunidade para fazer acontecer essa grande mudança está em curso. Trata-se da Década de Ação pela Segurança no Trânsito (2011-2020), uma iniciativa das Organizações das Nações Unidas (ONU) que se propõe a reverter a tendência de crescimento contínuo da violência no trânsito e reduzir pela metade o número de fatalidades e ferimentos graves.

O Brasil, como um dos dez países com as mais altas taxas de fatalidade no trânsito (com média de 38 mil mortes por ano), é signatário da Década Mundial, aberta oficialmente pela ONU em 11 de maio. Cabe agora dar curso às ações.

A Década de Ação pela Segurança no Trânsito, inclusive, é tema da Semana Nacional de Trânsito, que acontece em setembro, entre os dias 18 e 25. No Tocantins, nesse período, os parceiros habituais do Detran e outras entidades estarão reunidos em uma programação ampla e paralela, que visa alcançar o maior número de pessoas com ações de conscientização relacionadas à paz no trânsito.

Após terminada a Semana de Trânsito, a intenção do Detran é manter as parcerias com entidades do poder público e da sociedade civil e dar prosseguimento às ações de conscientização.

“Fica difícil para o poder público, agindo sozinho, conseguir a reverter a tendência decrescimento da violência no trânsito. É preciso o envolvimento de todos e que as ações de conscientização sejam contínuas, para que surtam o efeito desejado”, considerou o diretor geral do Detran, coronel Júlio César Mamede.

A diretora de Educação para o Trânsito e Qualificação de Pessoal do Detran, Aúrea Liz Morais, completou: “A maioria dos acidentes de trânsito é causada por imprudência ou imperícia dos condutores, uma minoria se dá por falha mecânica. E esses condutores, na teoria, sabem como dirigir defensivamente, mas é preciso que levem essa teoria para a prática diária, o que requer um amplo trabalho de conscientização. Estamos fazendo a nossa parte, mas precisamos do apoio da sociedade”, alegou.

Estatísticas

Do total de acidentes registrados no Tocantins entre janeiro e agosto de 2010, 2.525 ocorreram em vias urbanas, 642 em rodovias estaduais e 354 rodovias federais, segundo dados do sistema de dados Detran-Net.

As ocorrências podem estar relacionadas ao crescimento da frota no Estado. Na última década, o número de veículos no Tocantins cresceu 313,78%, saltando de 88.229 em dezembro de 2000 para 365.074 em abril de 2010. Em 2011, esse quantitativo alcançou 423.655 veículos, entre automóveis e motos, dos quais 114.877 estão concentrados na capital, Palmas.

Fonte: Assessoria de Imprensa Detran