Polí­tica

Foto: Humberto Lira

Em entrevista ao Conexão Tocantins durante a sessão ordinária da tarde desta quarta-feira, 17, na Assembleia Legislativa do Tocantins, a deputada Josi Nunes (PMDB) comentou sobre a manobra da base governista que poderá impossibilitar a instalação das Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI) anunciadas desde a semana passada.

De acordo com a deputada, a bancada de oposição irá se reunir para debater sobre que ações que serão tomadas para tentar reverter a situação criada hoje na AL. “Vamos nos reunir para definir que encaminhamentos iremos adotar para chegarmos a uma medida para questionar”, disse.

A deputada ainda frisou que tem consciência de que será difícil reverter a situação, mas que, mesmo assim a oposição pretende esclarecer os embasamentos para cobrar do presidente da Casa, Raimundo Moreira (PSDB) a posição sobre a ordem de instalação das CPI’s. “Nós queremos que isso sirva de peso na hora de definir a instalação das comissões”, disse.

Na ocasião, Josi ainda questionou a postura da presidência da Casa que, segundo ela, estendeu sem necessidade a reunião de bancada que deixou a sessão suspensa até após o horário regimental de apresentação da matéria. “Desde o período da manhã nós estamos tentando apresentar nossos pedidos de CPI. Mas o presidente suspendeu a sessão e depois ainda estendeu a suspensão. Não conseguimos”, disse.

De acordo com o Regimento Interno da Casa, Moreira tem um prazo máximo de cinco dias para definir os critérios de análise dos pedidos de Comissão Parlamentar de Inquérito e instalar as CPI’s. Este é o prazo que a oposição tem para tentar reverter a situação.

Entenda

Desde a semana passada a bancada de oposição já havia demonstrado a intenção de entrar com pedido de instalação de CPI para investigar as dispensas de licitação promovidas pelo Governo do Estado. Depois de sofrer baixas nas assinaturas para embasar o pedido, a bancada tentou apresentar a matéria na sessão desta manhã mas, depois de extensa reunião do bloco governista, ficou impossibilitada pelo adiantado da hora.

Já na parte da tarde, o presidente deu a palavra, primeiro, para o deputado Osires Damaso, que apresentou seus pedidos de CPI antes que a oposição o fizesse. Com isso, de acordo com o regimento, o critério de definição da ordem de instalação das CPI’s fica a critério da presidência da Assembleia, o que gerou a revolta da oposição.