Economia

Foto: Thais Ramalho

O presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico e Eletrônico do Tocantins-SIME/TO, e vice- presidente do Sistema Fieto, empresário Emilson Vieira, recebeu na tarde desta quarta-feira, 24, a visita da diretoria da Gelnex, indústria de gelatinas, que no Tocantins está instalada em Araguaína.

Na pauta do presidente da Gelnex, Milvo Zancanaro, do gerente de fábrica, Paulo Roberto Thibes e do coordenador administrativo Marim Paulo Alves G. Junior, estava a solicitação de um curso técnico em alimentos no Centro de Tecnologia - CETEC de Araguaína. O Senai Tocantins estudará junto ao Sindicato das Indústrias da Alimentação do Tocantins – SAI/TO a possibilidade de atender a demanda.

De acordo com o empresário Milvo Zancanaro, já foi protocolado na Secretaria Estadual da Indústria e do Comércio do Tocantins, a mesma solicitação. Segundo ele, existe a necessidade de ter mais profissionais qualificados no segmento da indústria alimentícia. Zancanaro quer ainda abrir espaço para que a empresa receba estagiários. “Temos a necessidade de qualificar nosso pessoal e ter mais técnicos. Com o programa de bolsas de estágios, nossa intenção é fazer com que à medida que os alunos forem se formando, possam ser inseridos logo no mercado de trabalho”, assegurou.

Atenta ao pedido da Gelnex, Raimunda Tavares, diretora regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - Senai Tocantins, disse que a solicitação do curso será analisada e deixou clara a intenção de criar novos cursos técnicos no CETEC de Araguaina. “Temos total interesse em trazer mais cursos técnicos ao CETEC de Araguaina, pois dispomos de uma ótima estrutura e os cursos técnicos trazem mais retorno à sociedade. Acho muito interessante o pedido da Gelnex”, destacou.

O vice-presidente do Sistema Fieto, Emilson Vieira, frisou que o Tocantins está absorvendo novos ramos de negócios e este é um momento positivo para avaliar o pedido da Gelnex. “O papel da Fieto é estar perto dos industriais e atender as demandas dos setores”, disse ele. (Ascom Fieto)