Economia

Foto: Divulgação

Um dia festivo, para valorizar as tradições e costumes das comunidades quilombolas, além de incentivar a comercialização de produtos típicos da agricultura familiar. Assim foi a IV Feira e I Encontro das Comunidades Quilombolas da Região Sudeste do Tocantins, realizada no sábado (17 de setembro), na Comunidade Lagoa da Pedra, localizada a 35 km da cidade de Arraias. O evento reuniu representantes de 16 comunidades quilombolas da região de Arraias, Conceição do Tocantins, Almas, Dianópolis, Paranã, Porto Alegre do Tocantins, Santa Rosa do Tocantins, Natividade, Chapada da Natividade e região circunvizinha.

Organizada pelo Governo do Estado, por meio do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), vinculado a Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Agrário (Seagro), a feira teve por objetivo resgatar a identidade cultural das comunidades quilombolas e fortalecer a agricultura familiar.

Para receber os visitantes, foi montada uma grande tenda ao ar livre, onde os produtores rurais colocaram suas bancas para vender os mais variados produtos, além do artesanato rural. Paralelo a feira aconteceram ainda diversas apresentações culturais, como a Folia do Divino e a dança da Sússia.

Na oportunidade também aconteceu o lançamento do livro “Cultura Quilombola”, do professor Wolfgang Teske. A obra traz uma análise profunda dos rituais, símbolos e rede de significados das manifestações culturais da comunidade e também destaca o projeto PAS – Produção Agroecológica Sustentável, desenvolvido na comunidade, pelo Ruraltins.

Em 2007 foi implantada no local uma horta comunitária, no sistema circular, que integra produção de frutas, verduras e a criação de peixes e aves num mesmo espaço. A iniciativa provocou uma grande mudança nos hábitos alimentares dos habitantes, melhorando a qualidade de vida e gerando renda aos moradores. O Diretor de Desenvolvimento Rural do Ruraltins, Valdivino Fraga de Melo, responsável pela execução do projeto, ressalta que essa divulgação é muito interessante e que determinadas ações promovidas numa comunidade serve de exemplo para outras. “Tudo que é cultivado aqui envolve todos os moradores, isso aumenta a produtividade e eles aprendem a trabalhar de forma organizada. Os participantes desse encontro estão conhecendo de perto esse sistema, que pode ser copiado, sem grande custo, pois a adubação é feita com elementos encontrados na própria comunidade, com esterco e urina de gado”, concluiu o diretor.

Dona Maria Inácia, de76 anos,matriarca da Comunidade Quilombola Lagoa da Pedra, disse que o encontro foi um momento grandioso.“ É gratificante ver que os jovens deram continuidade ao nosso trabalho. Vejo com muita grandeza esse primeiro encontro, pois é uma forma de valorizar nossos antepassados. Temos orgulho da nossa origem”, afirmou.

Mais de 800 pessoas entre visitantes, autoridades e produtores rurais participaram da IV feira e I encontro das comunidades quilombolas do sudeste do Tocantins. Cerca de R mil reais foram comercializados em produtos e mais de R$ 200 mil, foram liberados para a comunidade Lagoa da Pedra em contratos assinados pelos agricultores beneficiados pelo Pronaf – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar. (Ascom Ruraltins)