Polí­tica

A invasão de uma fazenda desapropriada no distrito de Taquaruçu, onde seria feito um loteamento para a construção de casas populares, foi o tema abordado pelo vereador Milton Neris (sem partido), na sessão desta terça-feira, 4.

O parlamentar culpou o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) e o Ministério Público pelo problema. “Esses homens e mulheres estão protestando contra a não-entrega do loteamento”, disse o vereador, isentando o prefeito Raul Filho (PT)pela paralisação da obra, iniciada há quatro anos.Ao todo, segundo o vereador, há 320 famílias na fazenda.

Neris exortou os demais parlamentares a se unirem à Prefeitura e buscarem o governador Siqueira Campos (PSDB) para encontrarem uma solução. “Essa Câmara Municipal não pode permitir que a comunidade continue sem uma resposta. A população não pode ficar esperando. Temos de chamar esta responsabilidade para a Câmara Municipal.”

O vereador Folha (PTN), em aparte, lembrou que, de acordo com moradores da área, toda vez que o Naturatins aponta uma pendência e esta é resolvida, o instituto insiste em citar outra irregularidade, prolongando, infinitamente, a regularização do loteamento.

Já Galego (PTN) lembrou que a situação se repete nos jardins Aureny, onde também há áreas sem infraestrutura e sem regularização. Retomando a palavra, Neris afirmou que as alterações no Plano Diretor e a expansão da área urbana vai solucionar o problema de muitas comunidades, inclusive das citadas por Galego.

A sessão foi suspensa em seguida, para reunião dos vereadores com os moradores da fazenda invadida. (Assessoria de Imprensa Câmara de Palmas)