Cultura

Foto: Divulgação

Bartleby foi selecionado pelo Programa Petrobras Distribuidora de Cultura 2011/2012 e irá apresentar-se em 06 capitais brasileiras. Sucesso de crítica e público em mais de 120 apresentações pelas regiões Sudeste e Sul do país chega à Palmas em curta temporada no Teatro do Sesc Palmas nos dias 14, 15 e 16 de Outubro de 2011.

Bartleby, montagem teatral realizada pelo Núcleo Caixa Preta da Cooperativa Paulista de Teatro buscou na literatura do século XIX material para compor um espetáculo cujo conteúdo e forma apresentam intensa sintonia com o tempo e o teatro da contemporaneidade. Baseado no conto homônimo do americano Herman Melville (autor entre outros, do célebre romance de aventuras “Moby Dick”) e adaptado para o teatro pelo dramaturgo espanhol José Sanchis Sinisterra, o espetáculo “Bartleby” posiciona-se como um importante meio de reflexão e utiliza a linguagem teatral como veículo de expressão e como fonte de ampliação do conhecimento e do pensamento crítico. Em meio a uma atmosfera de muito humor, lirismo e intelectualidade, o espectador é convidado a refletir acerca de temas como: o materialismo exacerbado, a difusão da violência, o fracasso ideológico, o individualismo contrastando com a perda da identidade, o nada de vontade, as relações de trabalho e poder em uma sociedade capitalista e alienante.

A adaptação de Sinisterra concentra-se na polaridade fundamental do conto: a estranha relação do Advogado (interpretado por Rodrigo Gaion) e de Bartleby (Cácia Goulart), do amo e de seu subordinado, e a não menos estranha inversão que nela se produz. Bartleby não se opõe às amáveis investidas do seu chefe, o Advogado, mas com sua célebre frase “Prefiro não”, resiste às ordens de seu patrão e desperta uma sucessão tragicômica de acontecimentos. Contra essa cortês e inexplicável resistência pacífica do escriturário estilhaça-se todo o sistema de normas, valores e referências de seu superior. O retrato da relação entre esses dois seres garante ao público momentos hilariantes, comprovados pela trajetória do espetáculo, que em três anos de carreira experimentou diversos tipos de público, em idade, estrato social e formação intelectual.

O Núcleo Caixa Preta além de encontrar no conto de Melville um texto ambíguo, polissêmico e de refinado humor, promove ainda com o patrocínio da Petrobras, junto ao Ministério da Cultura e da lei Rouanet, acesso gratuito ao espetáculo ampliando e democratizando o acesso à informação, cumprindo um importante papel social, educacional e cultural.

O espetáculo dirigido por Joaquim Goulart e Daniela Carmona conta com 02 indicações ao Prêmio Shell 2008 São Paulo (Melhor Atriz para Cácia Goulart e Melhor Cenário para André Cortez).

A entrada é gratuita e os ingressos deverão ser retirados com uma hora de antecedência na bilheteria do Teatro Sesc. A peça não é recomendada para menores de 14 anos As apresetações sãosexta e sábado, às 21h e domingo a partir das 18h. (Assessoria de imprensa da companhia)