Polí­tica

Foto: Divulgação

Coordenador da Câmara de Negociações de Desenvolvimento Econômico e Social, o Primeiro Secretário da Câmara dos Deputados, Eduardo Gomes (PSDB) abriu prazo de duas semanas para que todas as instituições ligadas aos setores patronal e trabalhista possam se manifestar, através de notas técnicas, sobre como deve ser feita a regulamentação do trabalho terceirizado no Brasil.

A reunião da Câmara ocorreu nesta terça-feira, 1º de novembro, quando parlamentares representantes dos empregadores e dos trabalhadores que integram a Câmara de Negociação da Câmara dos Deputados, decidiram ampliar o debate com as instituições do setor. A Câmara foi criada pelo presidente Marco Maia (PT-RS) no mês passado com o objetivo de afunilar as discussões sobre temas relativos às duas partes para que as propostas já cheguem negociadas e discutidas em plenário.

Na reunião da semana passada foram escolhidos como relatores o deputado Vicentinho (PT-SP), representando os assalariados e o deputado Jorge Corte Real (PTB-PE) representante dos empresários. Ambos ficaram responsáveis pela seleção dos projetos que já tramitam na Casa de interesse de cada parte.

Foram selecionados nove assuntos de cada lado e a terceirização foi considerada um tema de interesses de patrões e empregados. Entre as assuntos que serão discutidos pela Câmara estão: redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, fim do fator previdenciário e fim do trabalho escravo. (Assessoria de Imprensa Eduardo Gomes)

Por: Redação

Tags: Câmara dos Deputados, Eduardo Gomes