Campo

Foto: Joatan Silva

Com o intuito de discutir a formatação do plano de ação do Programa de Boas Práticas Agropecuárias (BPA) no Tocantins, a Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário promoveu uma reunião com diversas entidades ligadas ao setor do agronegócio. As discussões foram conduzidas pelo coordenador de Desenvolvimento Animal da Seagro, Cláudio Sayão e contou com a presença do superintendente federal da Agricultura no Tocantins, Jalbas Manduca. O encontro aconteceu na manhã desta quinta-feira, 10, na sede da SFA – Superintendência Federal da Agricultura.

“O Programa de Boas Práticas Agropecuárias permeia todas as questões dentro das porteiras, por isso convidamos entidades de vários setores, porque é preciso pensar nas questões que envolvem o trabalho nas propriedades, a questão ambiental, as questões financeiras e as questões do manejo”, afirmou Sayão.

O superintendente da SFA falou da importância do Programa de Boas Práticas para certificar as condições das propriedades tocantinenses, para a exportação de carne para a Europa. “As boas práticas na pecuária, sobretudo, é uma questão de cultura, por isso é tão importante essa parceria com o Sebrae e outras entidades, para sensibilizarmos esse produtor rural”, afirmou Jalbas Manduca.

O programa foi idealizado a partir de uma experiência da Associação do Novilho Precoce do Mato Grosso do Sul. As Boas Práticas Agropecuárias – Bovinos de Corte (BPA-BC) referem-se a um conjunto de normas e de procedimentos a serem observados pelos produtores rurais, que além de tornar os sistemas de produção mais rentáveis e competitivos, asseguram também a oferta de alimentos seguros, oriundos de sistemas de produção sustentáveis. Representantes do Banco do Brasil, Embrapa, Naturatins, OCB/Sescoop-TO, Unitins e Senai. (Ascom Seagro)